domingo, 28 de fevereiro de 2010

Os sete pecados capitais

A ira espuma.

A preguiça se derrama.
A gula engorda.
A avareza acumula.
A luxúria se oferece.
O orgulho brilha.
Só a inveja se esconde...


Zuenir Ventura

Quando falar sobre amor...

Quando falar sobre amor...
Quando falar sobre amor, finja nada conhecer,
para absorver cada frase que brote do coração.

Quando falar sobre a dor,
deixe abertas as janelas da alma
para compreender que amor e dor
são tão parecidos que até os confundimos,
ao vê-los bem de pertinho.

Quando falar sobre a paz,
faça-o no rumor da guerra,
para ser ouvido na mais alta voz.

Quando falar sobre sonhos, acorde,
para vivê-los na melhor lucidez do seu dia.

Quando falar de amizade,
estenda a mão aos seus inimigos,
para que possa provar a si mesmo
aquilo que gosta de dizer aos outros.

Quando falar de fome,
faça um minuto de jejum,
para lembrar daqueles que jejuam
todos os dias, mesmo sem querer...

Quando falar de frio, abrace alguém.
Quando falar de calor, estenda a mão.
Quando estender a mão,
sustenha o braço para que perdure.
Quando falar de felicidade, acredite nela.
Quando falar de fé, cerre os olhos para encontrar a razão
daquilo em que crê.
Quando falar de Deus,
faça-o pelo silêncio do seu testemunho.
Quando falar de si mesmo,
aprenda a calar,
para entender o amor, a dor, a paz, os sonhos...
PACARD

Diálogo

E você, por que desvia o olhar?



(Porque eu tenho medo de altura. Tenho medo de cair para dentro de você. Há nos seus olhos castanhos certos desenhos que me lembram montanhas, cordilheiras vistas do alto, em miniatura. Então, eu desvio os meus olhos para amarra-los em qualquer pedra no chão e me salvar do amor. Mas, hoje, não encontraram pedra. Encontraram flor. E eu me agarrei às pétalas o mais que pude, sem sequer perceber que estava plantada num desses abismos, dentro dos seus olhos.)




— Ah. Porque eu sou tímida.


Rita Apoena

Seus dedos

"Seus dedos na minha pele são arrepios. Todos os pêlos, curiosos, levantam-se para ouvir o suspiro. E, comemorando a vitória da pele sobre as palavras, acompanham seus dedos em ola, arrepiando-se, arrepiados. Seus dedos que, de tão leves, escorregam sobre minha pele, cortando-me em quatro pedaços". Apoena

Lê-me

Lê-me como se eu fosse um livro,
descobre-me em cada página,
conhece-me em cada palavra...
cheira-me com o mesmo desejo
com que se cheira o papel novo...

toca-me com suavidade
e folheia-me a cada dia,
como se eu fosse o primeiro
livro que lês...

deixarei em mim, páginas
com espaços em branco
para que tu mesmo, escrevas
e ilustres a nossa história...

nunca me feches, guarda-me junto a ti
para me leres nas horas boas e horas más,
abre o meu sorriso e inunda-te com ele,
bebe as minhas palavras
e entra na minha vida,
esta que é, um livro que lês...

Desconhecido Lê-me como se eu fosse um livro,
descobre-me em cada página,
conhece-me em cada palavra...
cheira-me com o mesmo desejo
com que se cheira o papel novo...

toca-me com suavidade
e folheia-me a cada dia,
como se eu fosse o primeiro
livro que lês...

deixarei em mim, páginas
com espaços em branco
para que tu mesmo, escrevas
e ilustres a nossa história...

nunca me feches, guarda-me junto a ti
para me leres nas horas boas e horas más,
abre o meu sorriso e inunda-te com ele,
bebe as minhas palavras
e entra na minha vida,
esta que é, um livro que lês...

Desconhecido

Saudade Bandida Faz Sofrer.


Sou acometido de um sentimento que me pegou de surpresa, será que foi Saudade?
Dizem que saudade é bandida, porque rouba a calma da gente.
se existe algo á ser roubado, então consiste um coração em se deixar levar por sí só.
Somente ficaria ele dependente de tal ser quando realmente estivesse ele sentindo desejo em ve-lo.
Procurando um não sei quê, se demora á acordar pra realidade e depois foi tarde demais para voltar ao que chamara de sensatez.
Caracterizando assim um sentimento com nome já conhecido e temido por muitos: Saudade.
Seria saudade bandida mesmo?, que levara consigo nossa disfarçada felicidade.
Fiquei entendido de ser eu, quem teria que sair sozinho dos meus pequenos deslizes, e subir nos degraus da minha suposta felicidade, onde uma tal saudade não pudesse alcançar.
Passaria o tempo que fosse necessário em seduzir meu Eu, de forma que tivesse como sair das minhas frustrações.
Ações de puro dessabor que uma severa manifestação de saudade haveria de me acompanhar, seria ela companheira do infortúnio?
Ou somente mostrava-me que eu teria muito o que me desdobrar mediante uma situação de suma aparência do desespero, que estaria por vir.
As causas de tal sentimento poderia ser vestígios de uma saudade, já vencida pela satisfação dos sonhos, que os ventos da solidão parecem insistentes em levar.
jogar fora minhas piores decepções é correr ao encontro do meu principal querer, que é pensar possuir você.
Alguém conhece a face da solidão? quem se habilita em conhece-la de verdade, em sua pior forma;
ou seria bobo o bastante para enfrenta-la, correndo o risco fatal de acabar sem pelo menos saber o que realmente lhe acontecera.
Só sabendo o que estaria enfrentando, quando lhe tivesse perdido o que realmente o viesse á fazer falta.
Sim, terias que procurar ajuda, mas em outro lugar, um lugar bem distante do que poderia ser realidade, pois a realidade é no momento deseperadora, e sem o menor desejo em amenizar-te de suas dores.
Pesadelo, fantasma, desgraça ou falta de uma presença, ausencia que se faz presente, ou presença que insiste em não se apresentar.
Seria o ápice da loucura ou lucidez ausente! surpresa que faltara ou sanidade delinquente!!
Dirigir assim um sentimento é o mesmo que jogar o carro ao poste, e dizer que foi ele que ficou em sua frente.
Considerando que estaria-mos em perfeito estado de sanidade, se pensar-mos desta forma, se fomos nós que viemos em nos proteger com essa atitude.
Saudade está fugindo de sí, e escondendo-se em suas entranhas, Tornando as pessoas em suas próprias vítimas no seu mundo de solidão que nos perturba.
Não sobra muita coisa se não a melhor parte de nós , como se viesse um furacão de " você foi capaz disso?".
Como se alguém precisa-se de uma mão "amiga" em nos empurrar ainda mais para os nossos piores medos, e colocasse assim suas opiniões desnecessárias.
Vem sentir saudade e saberá o que é sofrer, sentindo a mesma dor dos que ficam á espreita da solidão e no encalço do desespero.
Pensando duas vezes pois antes de fazer o que te vem no pensamento, vagando no pensar de um insano.
duras palaveras saem dessa boca, que almeja o desfrutar do seu ser, outrora esquecido, e desaperdebida é tua presença.

Paulo Master

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Procura-se um AMANTE


Muitas pessoas têm um amante, e outras gostariam de ter um. Há também as que não têm, e as que tinham e perderam. Geralmente são estas últimas que vêem ao meu consultório para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insónia, apatia, pessimismo, crises de choro, ou as mais diversas dores.
Elas contam-me que as suas vidas correm de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar o tempo livre. Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente a perder a esperança. Antes de me contarem tudo isto, já tinham estado noutros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "Depressão"... além da inevitável receita do anti-depressivo do momento. Assim, depois de as ouvir atentamente, eu digo-lhes que elas não precisam de nenhum anti-depressivo. Digo-lhes que o que elas precisam é de um Amante!
É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem o meu conselho. Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa destas ?!".
Há também as que, chocadas e escandalizadas, despedem-se e não voltam nunca mais. Às que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico-lhes o seguinte: Amante é "aquilo que nos apaixona". É o que toma conta do nosso pensamento antes de adormecermos, e é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir. O nosso Amante é o que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.
Às vezes encontramos o nosso amante no nosso parceiro, outras vezes, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis. Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no desporto, no trabalho, na necessidade de nos transcendermos espiritualmente, numa boa refeição, no estudo, ou no prazer obsessivo do nosso passatempo preferido...
Enfim, Amante é "alguém" ou "algo" que nos faz "namorar" a vida e nos afasta do triste destino de "ir vivendo". E o que é "ir vivendo"?
"Ir vivendo" é ter medo de viver. É vigiar a forma como os outros vivem, é o deixarmo-nos dominar pela pressão, andar por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastarmo-nos do que é gratificante, observar decepcionados cada ruga nova que o espelho nos mostra, é aborrecermo-nos com o calor ou com o frio, com a humidade, com o sol ou com a chuva. "Ir vivendo" é adiar a possibilidade de viver o hoje, fingindo contentarmo-nos com a incerta e frágil ilusão de que talvez possamos realizar algo amanhã.
Por favor, não se contentem com "ir vivendo". Procurem um amante, sejam também um amante e um protagonista da vossa vida...
Acreditem que o trágico não é morrer, porque afinal a morte tem boa memória e nunca se esqueceu de ninguém. O trágico é desistir de viver, por isso, e sem mais delongas, procurem um amante.
A psicologia, após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:
"Para se estar satisfeito, ativo, e sentirem-se jovens e felizes, é preciso namorar a vida".

Texto: Dr. Jorge Bucay
Livro: "Hay que buscarse un Amante"

Espero que divirtam-se com o texto da ácida Fernanda! Ao clitóris

"Querido companheiro,

A distância entre nós impede que nos vejamos frente a frente, então resolvi lhe escrever uma carta. Não tenho certeza do CEP da sua localidade, mas espero que estas linhas cheguem até você. Primeiramente, gostaria de lhe agradecer pelos grandes momentos que passamos juntos, todos de tirar o fôlego. Espero poder repeti-los assim que tivermos a oportunidade. Nos encontraremos lá, no nosso lugar. Eu, sempre sem tempo; você, sempre um pouco atrasado. Gosto da nossa relação. Sem grilos nem cobranças. Sem falsas ilusões. Respeito mútuo é o que eu diria que temos em nosso longo convívio, e isso não é pouco.

Talvez devêssemos manter um maior contato, não sei, mas, mesmo assim, não sinto qualquer culpa com relação a isso.Você, aliás, é o mais calado.E não estou reclamando, ao contrário. Falo demais às vezes, e você, nesse seu discreto silêncio, diz tudo o que eu queria dizer. Ou seja, acho que nós temos personalidades opostas complementares, estando aí o segredo do nosso relacionamento estável.

Talvez devêssemos, sei lá, ter viajado mais.Ou,quem sabe, ousado mais.Cansa-me,porém, o excesso de conjecturas, sabe? Muitos "talvez..." Tivemos bons tempos e maus bocados, mas sAo clitórisobrevivemos. E é isso o que interessa. Restando-me apenas o segundo motivo desta carta, que é lhe dar boas notícias. Nós vencemos.É, vencemos.O machismo opressor perdeu a sua longa hegemonia sobre a sociedade. Em alguns lugares do mundo, sim, muitas mulheres seguem em suas batalhas contra a brutalidade masculina, mas são focos de ignorância que deverão ser apagados. O fato é que, sem dúvida, hoje, podemos dizer que vencemos.

Uma luta ancestral, cuja vitória merece ser comemorada. Sendo esta a razão principal desta carta: dividir com você essa conquista. O sangue derramado não foi em vão.Desfrutamos, enfim, da liberdade de fazermos o que quisermos. Claro, burrices é o que fazemos por vezes, porque é o que queremos fazer; porém até a burrice é bem-vinda. Já que é mesmo a partir do erro que acertamos. Somos assim e parece que os homens finalmente entenderam isso. Ou fingem que entenderam. Mas nós dois, mais do que ninguém, sabemos que fingir funciona quase da mesma forma, para efeitos práticos. Além do mais, os machos e as suas glandes também não têm demonstrado grandes inteligências, através dos tempos, têm?

Pois bem, é isso.Acho que temos o que comemorar. Nossa revolução foi completada, mas novas lutas é o que não faltam. Diversas mulheres estão se saindo bem em suas trincheiras,outras seguem vítimas de injustiças. Estamos aqui para isso, porém, não é? Digo lutar. E, ainda movida pelo mesmo calor revolucionário, permito-me soar repetitiva: unidos venceremos.

Saudações"

Fernanda Young

Prezada Mulherzinha,


Se existe alguém que pode falar o que vou falar para você, sou eu. Então, por favor, tenha a humildade de admitir que sei o que estou falando. Pois o que eu te direi é duro, mas poderá te fazer um bem enorme.

Chega. Chega de se comportar assim. Como se estivesse lutando pelo posto de rainha da bateria. De Miss Maravilha do Mundo. Basta de ataques, dessa competitividade suburbana eu sou a melhor, eu sou a mais alta, eu sou a mais gostosa do pedaço. Ninguém tá ligando a mínima se você corre 10 quilômetros ou se aplicou Botox nessa sua testa sem expressão. Ou se você é assim porque ainda não passa de uma menininha que quer ser mais perfeita do que a mãe, conquistar o amor do pai e ser a primeira da classe. Esse teu afã psicopata de vencer todas as paradas só te deixa ridícula. E me faz querer usar um termo que odeio: coisa de mulherzinha. Mulherzinha é que tem essa mania de estar sempre desconfiada das amigas, porque todas teriam inveja do seu corpão e do seu cabelão estilo falso-loiro-natural-cinco-tons. Lamento informar, querida, que ninguém sente inveja de você. Por isso, chega de dizer por aí que, para não atrair olho grande, é bom ficar de bico fechado sobre a tal possível promoção que você terá no trabalho. Relaxa, ninguém está a fim de ser você. Tente, portanto, ser você com mais leveza. E lembre-se: esse negócio de dizer que não se pode confiar em mulheres só comprova que você é uma pessoa maliciosa. Sendo que isso está longe de ser porque você é fêmea.

Quando vejo você tagarelando sobre seus feitos sexuais, sinto-me num filme ruim sobre ginasianas americanas. Todas fanhas e excitadas. Chega, tá? De azucrinar os outros com essa sua boca-genital lambuzada de gloss, cuspindo baixos-clichês, simulando uma modernidade que você não tem. Nunca mais caia no ridículo de fazer "sexo casual" com nenhum tipo de homem, mais velho ou mais novo, casado ou solteiro, porque todo mundo já sabe que você finge tudo. Que goza, que não se sente fácil, que não liga quando os caras não telefonam no dia seguinte. Seja honesta uma vez na vida: confesse. Que você não é nada tão wild quanto se vende. Que não sabe falar tão bem inglês assim. Que fez escova progressiva. Que tem dermatite. E enfim você terá alguma paz, pois se reconhece humana, e não a barbie boba que você procura ser. Acredite: idiotice só te faz charmosa para os cafajestes. Se continuar assim, nunca vai aparecer aquele cara bacana que você gostaria que aparecesse; para lutar por você, até te conquistar, e destruir essa tua linda silhueta com uma gestação de 15 quilos.

É triste, amiga Mulherzinha, mas você terá que abrir mão da máscara de rímel que cobre a sua verdade."





TODO mundo conhece uma MULHERZINHA, mas a que conheço começou a mexer no vespeiro onde não deve e isso já está me incomodando.


Esse é mais um texto da Fernanda Young para vocês se deleitarem....

Você está em tudo



Homem, nem precisa vigiar...
Você está em tudo, nas músicas que ouço, no sol que todos os dias insiste em me tirar da cama...
No vento que toca meu rosto e desalinha meu cabelo,
No espelho quando me deparo comigo e lembro você com aquele olhar cativante e cheio de malícia...
Sinto a saudade da tua voz... dos teus sussurros no meu ouvido, falando de você, da sua vida e das suas loucuras...
Te esquecer não consigo...
Meus dias se enchem de luz, de cor, de música, o vento me traz teu cheiro, durmo e acordo com você no pensamento... no coração, quando me toco a tua mão passa ser a minha...
e minha vida hoje tem outro sentido, o que você conseguiu dar a ela.
Você é mais importante que os papéis que representa...
Tudo na vida é simples, sem muitas teorias ou explicações...
A verdade é só uma e você sabe qual.
Portanto menino... hoje dorme bem e com o coração sorrindo,
Porque nesse desafio da vida você venceu e eu te reverencio...
Estou te amando!
O que sinto é verdadeiro, intenso e delicioso que vale por uma vida inteira...
Quer você esteja ou não ao meu lado.
Eis o verdadeiro sentimento... incondicional, repleto de vida e pleno de felicidade... Onde poder compartilhar é maravilhoso.
Loucura?
Não... porque te conheço nu de tuas máscaras, dos teus papéis ou do que representa ser... conheço tuas qualidades tanto quanto os teus defeitos...
Essa tua personalidade nervosa e irritada.
Sei que és tempestade ou uma doce brisa de verão, depende do que eu despertar em você!
Te provocar é delicioso!

Guarde bem essas palavras... não é sempre que admito minhas fraquezas...

Wandréia Carneiro

Enquanto a noite chorava


Enquanto a noite chorava
e os olhos se confraternizavam
por um momento fechei as cortinas
e num olhar secreto
brindei a você...
E quando todos pensavam,
Que eu estava entre eles, num sorriso
escondido percebi que de nada sabiam...
E quando imaginavam que meu sorriso
era para eles, na verdade não se deram
conta que eu estava com você!
Talvez nem mesmo você , tenha percebido
que eu estava tão longe e tão perto...
E num momento único senti você!
Mesmo que você ainda não tenha me
Percebido e me notado
eu estava ali do seu lado...
Tão longe dos seu olhos e perto da
Essência de sua alma
ui dormir levando comigo
aromas de flores, se quer saber?
Senti você!
Fernanda Maia

Agora entendo as rugas das tartarugas

Agora entendo as rugas das tartarugas

Desconfio que as tartarugas carregam uma saudade nas costas.Uma saudade capaz de imprimir rugas com o tempo.Se é verdade verdadeira,eu não sei.Mas também não sabem aqueles que dizem que as tartarugas são répteis e que os répteis têm sangue frio.
Aquele casco capacete nas costas,todo desenhado para cada ano de vida,só pode ser as marcas de uma saudade.
Em terra,esses répteis são monges zen levando a vida em câmera lenta para viverem muitos séculos.Mas curtem a rapidez também.No mar,são rápidos como uma raio.E têm aquele pescoção comprido,aquela cabeça careca,que só podem ser de uma saudade enorme.



Será que as
tartarugas têm
saudades dos
dinossauros?

Ricardo Corona é poeta e autor do CD de poesia "Ladrão de Fogo"(Medusa,2001)e do livro infantil "O Sumiço do Sol"(Arco-Íris,1993)

Escreva-me

Quando o vento tiver desfolhado as árvores
Os outros tiverem ido ao cinema
E você quiser ficar sozinho
Se você não quer falar muito
Então escreva-me

Fará você se sentir menos frágil
Quando nas pessoas encontrar
Somente indiferença
Jamais se esqueça de mim

E se você não tiver
Nada de particular para dizer
Não precisa se preocupar
Eu saberei entender

Pra mim, basta saber
Que você pensa em mim ao menos um minuto
Porque eu sei ficar contente
Mesmo com um simples olá

Falta tão pouco
Para ficarmos mais perto

Escreva-me
Quando o céu parecer mais claro
As jornadas se tornarem longas
Mas não espere pela noite

Se você tem vontade de cantar...
Escreva-me

Mesmo quando você achar
Que está apaixonado
(Nino Buonocuore)

Roteiro do Tempo



Sou mais um rosto na multidão
Dentre tantos que por aí estão
Sou semblante, o entardecer das tardes
Sou amanhecer, sou também o anoitecer
No meu rosto, sou todo o meu viver…

Sou idade, sou verdade, sou saudade
Sou o todo e o nada por que já passei
Sou bondade, sou fraterna, sou lealdade
De tantas coisas que alimentei
Quero só ser também felicidade…

Ontem adormeci gente
Hoje amanheci rugas
Nas tardes sou transparente
Em mutantes, muitas visões
Vivo o sim, o não das tentações…

Sou Atenção!, Espere!, Pare!
Sou Proibido Ultrapassar
Sou semáforo da ilusão
Vermelho sempre na emoção
Pisco alerta com coração…

Sou mão única, Siga em frente!
Por não poder retroceder
Dobre à direita, sempre pra não sofrer
Proibido estacionar, não posso parar
Permitido estar, procurar e esperar…

Sinal verde, mão única
Rolando, rodando sem parar
Não estaciono sigo a seta
Vou em busca de minha meta
Pra em meu destino poder chegar…

Vou com cautela devagarinho
Velocidade mínima no meu caminho
Obedecendo sempre a sinalização
Prudente, calma, atenta na direção
Não avanço os sinais do meu coração…

Quero chegar segura ao meu destino
E poder alçar vôo pra outros ninhos
Quero no vôo livre do meu chegar
Acenar pra todos o meu passar
E alcançar o sinal de continuar…
Myriam Peres

Se não falas

Se não falas, vou encher o meu coração
Com o teu silêncio, e agüentá-lo.
Ficarei quieto, esperando, como a noite
Em sua vigília estrelada,
Com a cabeça pacientemente inclinada.

A manhã certamente virá,
A escuridão se dissipará, e a tua voz
Se derramará em torrentes douradas por todo o céu.

Então as tuas palavras voarão
Em canções de cada ninho dos meus pássaros,
E as tuas melodias brotarão
Em flores por todos os recantos da minha floresta.

Rabindranath Tagore

DECLARAÇÃO DE AMOR



Eu te amo do amanhecer ao anoitecer
e mesmo quando durmo, ainda te amo.

Eu te amo nas três dimensões, nas quatro luas,
nos quatro elementos, nas quatro estações,
nos quatro pontos cardeais.

Eu te amo nos cinco sentidos, nas sete cores do arco-íris, nas sete notas musicais, nos doze signos do zodíaco,
em tudo o que existe eu te amo cada vez mais.

Eu te amo na procela e na calmaria, em todos os josés e marias, nos infantes, nos anciãos, nos amigos,
inimigos ou irmãos... eu te amo em toda a criação.

Eu te amo no caos aparente ou na mais perfeita estrutura... eu te amo como o próprio criador
ama a sua criatura.

Eu te amo no vento que vem do norte, na linha do horizonte, na pequena fonte, nas nuvens grávidas de chuva... eu te amo nos meus dias nefastos
e nos meus dias de sorte.

Eu te amo na árvore frondosa, na montanha majestosa, na pedra preciosa, nas miríades de estrelas do universo... eu te amo no pequeno átomo, na imponderável constelação, eu te amo para além
de qualquer humana compreensão.

Eu te amo pelo pouco que sei de ti, pelo muito que ignoro e por aquilo que somente posso pressentir.

Eu te amo na plenitude da lida, no ocaso da vida... e, depois que eu me for, nas lembranças que porventura eu deixar, hás de encontrar perfumados e palpitantes restos do que foi o meu amor !
FÁTIMA IRENE PINTO

Quero crescer...

Não quero mais drama
nem sofrimento
antes, quero cresçer na alegria
e no transbordamento.
Não quero mais declinar
melindres e impossibilidades.
Antes, quero um amor
cuidado, partilhado,
pleno de mutualidade.
Não quero mais invejar
casais de namorados.
Não quero mais caminhos.
Quero amor que chegue
e se faça ousado.
Fátima Irene Pinto

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Por um momento apenas...


...Quero um pedacinho de tempo para poder descansar esse peso do mundo que estou sentindo em meus ombros ...

Um tempo onde não me perguntem nada, nem me peçam nada, apenas me permitam o direito, de dar vazão ao pranto que venho engolindo com o café-da-manhã de todos os dias ,enquanto visto a máscara de "olhem como sou valente e forte" ...

Quero ser a criança que pode chorar livremente sob o beneplácito da manhã até que me ponham no colo, restabelecendo assim, o equilíbrio que necessito para dormir em paz.

Quero ser criança novamente e me esconder no vão da escada para que todos me procurem e se preocupem comigo,(ainda que ao me encontrarem, me ponham de castigo pela traquinagem).

Quero ser adolescente despertando para o primeiro amor ...Quero ser a pessoa que teme o amanhã, que se angustia com aquilo que não ousou... e se amedronta com o que há ainda por realizar ...

Quero me aventurar na busca dos sonhos, sem ter que vê-los pintados com as cores do desânimo,ou coloridos com as cores do impossível... e quero poder brincar com meus sonhos como se fossem massinha de modelar ilusões ...lambuzar neles meus dedos, até decidir quando precisam se desfazer ...

Quero ter companheirismo também nas horas em que tudo parece ter se perdido, e encontrar apenas um ombro onde possa repousar meu cansaço, um ombro que seja tão somente silencioso e impregnado de compreensão...

Quero deixar que me invada toda a dor do mundo neste instante, porque ela é minha, é real e é única, e que como tal seja aceita e compreendida ...mesmo que eu não a aceite e não saiba lidar com ela ...

E quero poder dizer isso desse jeito:- ESTÁ DOENDO, SIM !...sem assustar ninguém, causando uma revolução tão grande que meu mundo pareça ainda mais desabitado . Daqui a pouco tudo vai parecer diferente e novo, eu sei.

Vou secar os olhos e vou à luta outra vez e da dor hei de ressurgir mais forte ...
Porque sou noventa e nove por cento formação de matéria que dificilmente se desintegra .

Então, por favor ...

Por um momento apenas ...neste meu pequeno momento mais que humano.

Neste meu miserável um por cento de fragilidade,me deixem ser igual a todo mundo e simplesmente chorar...
Autor Maria Teresa Albani (Maytê).

Quando falar de amor

Quando falar sobre amor, finja nada conhecer, para absorver cada frase que brote do coração.

Quando falar sobre a dor, deixe abertas as janelas da alma para compreender que amor e dor são tão parecidos que até os confundimos, ao vê-los bem de pertinho.

Quando falar sobre a paz, faça-o no rumor da guerra, para ser ouvido na mais alta voz.

Quando falar sobre sonhos, acorde, para vivê-los na melhor lucidez do seu dia.

Quando falar de amizade, estenda a mão aos seus inimigos, para que possa provar a si mesmo aquilo que gosta de dizer aos outros.

Quando falar de frio, abrace alguém.

Quando falar de fome, faça um minuto de jejum, para lembrar daqueles que jejuam todos os dias, mesmo sem querer.

Quando falar de felicidade, acredite nela.

Quando falar de calor, estenda a mão.

Quando estender a mão, sustenha o braço para que perdure.

Quando falar de Deus, faça-o pelo silêncio do seu testemunho.

Quando falar de fé, cerre os olhos para encontrar a razão daquilo em que crê.

Quando falar de si mesmo, aprenda a calar, para entender o amor, a dor, a paz, os sonhos....

Ah quando tudo isso acontecer.....

será estupendo

Quão bom e quão suave é que sejamos contemplados pelo amor

Por isso quando falar de amor....

FALE DE CORAÇÃO
desconheço autor

Era uma vez

Era uma vez chamado Vale dos Sentimentos. Lá moravam todos os sentimentos do mundo, cada qual com seu nome: alegria, riqueza, sabedoria, determinação.

Apesar de serem tão diferentes, se davam muito bem. Até os sentimentos como orgulho, tristeza e vaidade não tinham problemas entre si. Mas era lá no fundo do vale, na última das casinhas que morava o mais bonito de todos os sentimentos. O AMOR. Ele era tão bom que quando os outros sentimentos chegavam perto dele ficavam mudados porque eles sabiam que dentre eles, o amor era o melhor. Porém no mesmo vale, num lugar mais afastado havia um castelo. E lá também morava um sentimento, só que não tinha nadinha de bom... Era a raiva. E a raiva, de tão ruim que era, não gostava dos moradores do vale. Por isso, quando acordava de mau humor fazia de tudo para estragar a beleza do lugar.

Certo dia, a raiva teve uma boa idéia. Foi até o calabouço e preparou a poção mais esquisita e estraga-prazeres de que se teve notícias. A fumaça da poção tomou conta do lugar, e o vale e se transformou numa tempestade como nunca se tinha visto antes.

Quando o vale se encheu de raios, chuvas e ventos, todos correram para se proteger. O egoísmo foi o primeiro a se esconder, deixando todos para trás. A alegria deu risada de alívio por ter se salvado rapidinho. A riqueza recolheu tudo que era seu, antes de se abrigar. A tristeza, a sabedoria, a vaidade, todos conseguiram chegar as suas casas a tempo. Todos, menos o amor. Ele estava tão preocupado em ajudar aos outros que acabou ficando pra trás.

Então uma coisa aconteceu. Um raio bem forte caiu sobre o vale atingindo o amor. A raiva deu sua tarefa por cumprida e foi dormir. Quando a tempestade passou, os sentimentos puderam abrir as janelas aliviados. Mas ao saírem eles sentiram uma coisa diferente no ar, o que nunca tinham sentido antes. Foi então que eles viram...
- O que aconteceu com o amor?
- Ele não se mexe...
- Tá tão parado que parece que... Morreu.

Nisso a tristeza começou a chorar. O orgulho não aceitava. Disse que era mentira. A riqueza disse que era um desperdício. E a alegria pela primeira vez, não sorriu.

Foi aí que uma coisa estranha começou a acontecer. Os sentimentos começaram a ter desavenças, porque sem o amor para uní-los, as diferenças apareceram. A situação já estava bem ruim quando eles repararam que estavam sendo observados. Alguém que eles nunca tinham visto ali antes. Então, o estranho se ajoelhou na frente do amor, tocou-o calmamente e ele abriu os olhos.
- Ele não morreu. O amor não morreu. Gritaram todos. Foi aí que todos puderam ver o rosto do estranho que se chamava tempo.

E todos comemoraram porque o amor estava vivo e sempre vai estar, porque não ha nada que acabe com o amor tendo o tempo ao seu lado para ajuda-lo. E sabe o que aconteceu com o amor e o tempo? Eles se uniram e tiveram três filhos: experiência, perdão e compreensão, que moram até hoje no vale dos sentimentos, lá no fundinho do coração.

Desconhecido

PRIMEIRO AMOR


Todo mundo já teve um primeiro amor... o último a gente nunca saberá qual é, mas o primeiro será sempre inesquecível. O primeiro amor é aquele que faz você suar frio, ficar quente, eloqüente, inconseqüente. Ele é sempre jovem, forte e vibrante. Por mais que tudo tenha dado errado e tenha sido mais que desajeitado, o primeiro amor é sempre cor de rosa, traz boas lembranças, promessas, poemas e prosas. Alguns também trazem boas risadas... o meu primeiro amor, tem o som de música, por isso inevitavelmente quando estou em salas de espera, dentistas e ambientes afins, fico com cara de boba e apaixonada, com aquele sorriso no rosto do privilégio de ter vivido um grande e incondicional primeiro amor e mais nada. O primeiro amor é saudável, é moleque, é pivete, é quando se joga confete, masca chiclete ao som de Ivete. É aquele que você se perde, se acha, transa na sala, no sofá, na cama de solteiro, na escada, no carro, no banheiro e também no chuveiro. O primeiro amor é uma explosão de hormônios, sentimentos inconstantes, intrigantes, interessantes, porque é a descoberta do desconhecido, o desbravamento do território virgem e nunca explorado com tantas sensações de prazeres. O primeiro amor é eterno, é um marco, mas no primeiro momento que achamos que não é, o primeiro amor é a morte, um sofrimento de posse e quase um deboche. O primeiro amor pode ser uma breve, eterna ou única história, pode ser até mesmo a última esperança, no espaço de um hiato, perdido no espaço, que liga a juventude à velhice na luxúria de amar um amor que é só meu, e é só seu... primeiro amor.
Ana Flávia Corujo

Constatação

Se sentir saudade de mim, procure-me em coisas que você não sabe que fazem parte da minha vida...
Procure-me em latinhas de cocas ligths, florzinhas azuis de grama, chá de erva cidreira ou hortelã, suco de manga, pamonha, pastel de palmito da feira, em doce de abóbora com coco, na fruta cheirosa chamada atemóia, nas preocupação com contas, em choro escondido, dança solitária e pés no chão...
Procure-me na tinta de cabelo castanho claro, em constantes tentativas de emagrecimentos, em muitas músicas sertanejas e até bregas, em licor de tamarindo...ou de amarula.
Você pode me encontrar também na preguiça de lavar louça, de fazer unha, na minha falta de vaidade...
Vai me achar num melindre chato...Numa camuflada timidez, num descabido pudor...
Se sentir saudade, procure-me em coisas que você não conhece de mim...pois só assim você estará sentindo-me e encontrando-me na minha verdade, sem faz-de-conta . E, ao encontrar-me, terá tido certeza de que encontrou quem você realmente queria....
E, se depois disso ainda quiser ficar, saberei que você sentiu realmente
saudade ... e foi de mim!

Que acontece ANTES E DEPOIS do casamento:


Antes.: Duas por noite - Depois: Uma por mês.
Antes.: Você me deixa sem fôlego! - Depois: Você está me sufocando !!!!!!
Antes.: Não pára!! - Depois: Nem vem !!
Antes.: Estar a teu lado... - Depois: Vire pro seu lado.
Antes.: Me pergunto que faria sem ele - Depois: Me pergunto o que faço com ele
Antes.: Erótica - Depois: Neurótica.
Antes.: Ela adora como controlo a situação - Depois: Ela diz que sou um manipulador egoísta.
Antes.: Ontem fizemos amor no sofá - Depois: Ontem dormi no sofá.
Antes.: Minha Gatinha, meu Ursinho, minha coelhinha (bichinhos pequenos e fofinhos). Depois: Os bichos crescem: Sua Vaca, Seu Cachorro, Sua Galinha, Seu Viado.
Antes.: Os embalos de Sábado a noite... - Depois: O futebol de Domingo a noite...
Antes.: Você vai comer só isso? - Depois: Talvez fosse melhor comer só a salada...
Antes.: É como se eu estivesse sonhando... - Depois: Estou tendo um pesadelo...
Antes.: Concordamos em tudo! - Depois: Ela não pode tomar nenhuma decisão?
Antes.: Cueca de seda. - Depois: Samba canção (será que tem quem goste destes cuecões?).
Antes.: Adoro suas curvas. - Depois: Eu nunca disse que você está gorda?
Antes.: Ele está completamente perdido por mim... - Depois: Por que ele não pede informações?
Antes.: Croissant e capuccino. - Depois: Café com margarina.
Antes.: Você fica tão sexy de preto... - Depois: Suas roupas são tão deprimentes...
Antes.: Camarão. - Depois: Sardinha em lata.
Antes.: Biquini "Asa delta"... - Depois: Maiô tipo americano...
Antes.: Garrafa de vinho. - Depois: TANG sabor de uva.
Antes.: Camisa dentro da calça... - Depois: Barriga fora da calça...
Antes.: Não acredito que tenhamos nos encontrado... - Depois: Não acredito que acabei ficando com você...
Antes.: Vem para cama que eu estou te esperando... - Depois: Levanta seu molenga que tá na hora...
Antes.: Paixão. - Depois: Que horas são?
Antes.: Familia Mancini. - Depois: Disque Pizza.
Antes.: Vem cá benzinho que eu esquento seu pèzinho... - Depois: Sai com esse pé frio pra lá...
Antes.: Perfume francês. - Depois: Avanço.
Antes.: Benzinho pra cá, benzinho pra lá... - Depois: Meus bens pra cá, seus bens pra lá...
Antes.: Era uma vez... - Depois: Fim.

Sinta-se vivo

""Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que fazia, volte a
fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas... Continue, quando todos
esperam que desistas. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você.
Faça com que em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não
conseguir correr através dos anos, trote. Quando não conseguir trotar,
caminhe. Quando não conseguir caminhar, use uma bengala. Mas nunca se
detenha" [ Madre Teresa de Calcutá ]

As Portas da Vida


Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala.
Você pode não entrar e ficar observando a vida.
Mas se você vence a dúvida, o temor, e entra, dá um grande passo:
nesta sala vive-se! Mas, também, tem um preço…

São inúmeras outras portas que você descobre.
Às vezes curte-se mil e uma.
O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta.
A vida não é rigorosa, ela propicia erros e acertos.

Os erros podem ser transformados em acertos quando com eles se aprende.
Não existe a segurança do acerto eterno.
A vida é generosa, a cada sala que se vive, descobre-se tantas outras portas.
E a vida enriquece quem se arrisca a abrir novas portas.

Ela privilegia quem descobre seus segredos
e generosamente oferece afortunadas portas.
Mas a vida também pode ser dura e severa.
Se você não ultrapassar a porta,
terá sempre a mesma porta pela frente.
É a repetição perante a criação,
é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores,
é a estagnação da vida…

Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens

Uma lembrança boa de você

"Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas... Uma lembrança boa de você, uma vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento. Ser novo."


Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

POR QUE OS AMORES SE PERDEM


O mais difícil de entender quando
os amores acabam são os porquês.
Por que duas pessoas que se encontraram
e se encantaram, viveram um amor que parecia
indestrutível, se separam?
Por que o amor geralmente acaba
de um lado só e é o outro que fica chorando
e querendo entender as razões?
Amores deveriam ser eternos, mas nem sempre são.
Costumo comparar casais a chave e fechadura.
Nem toda chave abre todas as portas e
é necessário encontrar aquela exata que
vai se encaixar perfeitamente
e tudo será possível.
Mas a gente acredita que cada vez que alguém
toca nosso coração e entra, que é definitivo.
Um casal que se apaixona de início,
sem que um tenha tido o tempo de desnudar o
outro nas suas verdades, acredita nessa chama
e até briga por ela muitas vezes.
E cria-se sonhos, planeja-se o futuro...
enquanto isso os dias vão passando,
toma-se menos cuidado em manter a magia e
a parte dos dois que é mais sonhadora
começa a sentir-se incomodada.
Dá medo.
Medo de ter que olhar bem nos olhos
da realidade e dizer: acabou!
Medo de ter que se confessar a si próprio
que ainda não foi aquela vez!
Medo da solidão, de ter que recomeçar...
Não são as decepções que matam o amor.
Se assim fosse, não existiriam
perdões e reconciliações.
O que mata o amor é simplesmente a tomada de
consciência de que o outro não é o ser sonhado.
É como acordar depois de um longo
sono e lindos sonhos.
O outro está ali, é a mesma pessoa,
mas aquela neblina que dava a impressão
de irrealidade já não mais existe.
E isso não acontece da noite para
o dia, como se costuma pensar.
É algo que vem com os dias,
os hábitos, as monotonias.
Um percebe, o outro não.
Um começa a se sentir angustiado e o outro
continua acreditando ou finge que acredita.
E quando a gota que faz transbordar o vaso
chega é o mundo todo que desmorona.
Porém, tudo não fica definitivamente perdido.
Sobra de um lado a dor e os porquês,
um resto de amor que teima em ficar
no fundo como o vinho envelhecido na garrafa
e do outro o coração dividido por não poder
reparar erros cometidos e a vontade
de continuar em busca de outros horizontes.
Sobra para os dois a ternura e a lembrança
dos momentos passados juntos.
Por que corta-se relacionamentos,
mas não se apaga momentos,
mesmo que a gente queira.
Vivido é vivido, feliz ou infelizmente.
Inútil é querer resgatar um amor
que resolveu partir pra outras direções.
Quanto mais apega-se, mais ele se afasta.
E quanto mais se afasta,
mais dói no outro a incompreensão.
É uma roda da qual é difícil de sair.
E é uma pena, pois os corações não merecem isso.
Quando a questão é amor, não existe justo ou injusto.
Existe o que ama e o que não ama mais.
Precisamos aceitar que o outro não tenha
os mesmos sentimentos, mesmo se isso nos faz mal,
por que se o amor não for livre para se instalar
onde realmente deseja, ele perde toda a razão de ser.
© Letícia Thompson

Imaginação, loucura, ilusão…

Sou uma passageira…Embarco e desembarco sem realmente saber qual o instante em que realmente sou eu mesma… Sou sonho… A matéria é empréstimo e perece, o sonho é eterno e permanece… Decidi fazer do que é real, uma ilusão e, da minha ilusão a minha mais verdadeira realidade… Seria como tingir a água de azul, por instantes desejar que minhas mãos sejam flores e poder sentir o beijo do beija-flor…Já que conheço o ruido de um tiro, me nego a aceitá-lo, prefiro ouvir o que conversam as árvores… Outro dia diziam elas, que as estrelas são as flores que bordam o céu…Imaginação, loucura, ilusão…Prefiro assim…

Voltar a ser a mulher da minha vida.

Mais uma noite insone e finalmente, diante dos meus olhos uma verdade que eu me recusava a ver.
Eu queria ser a mulher da tua vida, não consegui. Descubro, então, que eu preciso voltar a ser a mulher da minha vida.

Preciso abandonar velhas convicções, velhas certezas, velhos desejos e voltar pra mim. Restaurar esse meu coração que é o patrimônio histórico da minha humanidade. Preciso olhar pra dentro, ver o que restou, cuidar do que sobrou e reviver.
Preciso voltar para os meus braços, sentir novamente a segurança de ser acarinhada por mim, pensar em mim, amar a mim.

E para fazer isso, preciso abandonar você. Largar de mão a tua vida. Porque tantas vezes eu voltei para a tua vida e você nem soube. Fui tua, inúmeras vezes dentro da minha solidão. Estive te olhando, estive esperando, estive vivendo a tua vida. Está realmente na hora de abandonar você. Não por nada que você tenha feito, mas por mim. Para voltar a ser a mulher da minha vida.

Preciso ganhar uma lufada de vento no rosto, preciso enfiar areia no meio dos dedos dos pés, preciso sentir a água gelada do mar escorrer pelo meu corpo e saber que não morri, que sobrevivi depois do mergulho profundo desse afogamento de amor.
Preciso catar os cacos dessa dor estilhaçada, preciso catar os restos dessa tentativa frustrada, preciso aspirar as lágrimas empoeiradas pelo tempo e enterrar no fundo das minhas lembranças. Voltar a tona eu preciso.

E feito isso, preciso tomar posse da minha vida novamente. Preciso tirar de você o que te dei sem você querer. Preciso ser de novo dona de mim.
Porque se tenho defeitos ou qualidades não importa, o que importa é que tenho a certeza que sou hoje, a melhor opção para mim. Que sou o que eu mereço, que vivi intensamente tudo que desejei e isso fez de mim essa mulher que eu preciso, que me agrada, me seduz, me convence.
Hoje retomo as minhas rédeas para ser pra sempre; A MULHER DA MINHA PRÓPRIA VIDA.

By Inez Sodré

LEIA A BULA

Leia a bula antes de usar...
Porque sou fácil de digerir, não costumo causar alergias.
Sou composta de alegria, ternura, paciência e bom humor.
Segundo estudos de conhecidos, é fácil me fazer feliz.
Tenho poucas contra indicações, como deslealdade ou traições.
Ah! Estes sim, darão uma dor de cabeça, porque não alivio.
As orientações para uso contínuo são básicas , me deixe dormir em paz,
apague a luz e o ronco, abra a janela para entrar a brisa e as estrelas,
que no dia seguinte serei uma mulher radiante e da paz.
Não faço absolutamente nada, sem tomar o café da manhã,
pão, requeijão, cappuccino feito por mim, e um raio de sol à mesa.
Às vezes leio o jornal, mas são tantas tragédias que desisto.
Fico de olho no relógio, pela manhã ando em marcha lenta,
quase de ré para a cama, uma atração fatal que devo lutar contra.
Minha salvação é um banho morno, que leva embora esta moleza,
resquícios de preguiça, me dá carga nova na bateria.
Por entre o vapor surge uma nova mulher...
Escolho minha roupa pelo astral do dia, visto-me com simplicidade
e com as cores da minha alma, porque digo alguma coisa com esta
casca que me envolve, expresso minha alegria ou a tristeza que me abate.
Tenho minhas manias, são poucas e não abro mão.
Mania de limpeza, de arrumação, de cheiros bons pela casa, de um sorriso de bom dia,
de felicidade que encontro junto aos amigos verdadeiros ou virtuais.
Também curto muito a minha solidão com vista para o rio e o pôr do sol magnífico,
que me faz flutuar pelo céu ... inspiração em busca de poesia.
Esta mania de franqueza, de derramar emoções , não é muita gente que gosta disso,
já perdi amigos por este estilo despojado do meu pensar e dizer, sem muita peneira nas palavras...
Mas a mentira me causa violenta alergia !
Creio firmemente que a fantasia é sempre pior que a realidade.
Por favor, nunca me poupe com uma mentira, eu não te pouparei com a minha verdade.
Podes até oferecê-la em doses homeopáticas, mas eu quero beber todo o vidro da verdade.
Se insistir em mentir , eu me tornarei tóxica, indigesta, minha docilidade se transformará em um amargo intenso,
terás vertigens de saudade, porque, provavelmente nunca mais me verás.
Lê a bula, sou tão fácil de usar...

Fátima Pilla Müller

Somos almas gemeas


Minha alma viajou

Por outros tempos

Outros lugares

Numa busca de algo que a completa-se

Até que entraste de modo estranho

Sem dar conta

Tu te instalaste em meu coração

Não entendi a razão o motivo

Nascia o dia o sol brilhava e em mim

Teu nome saltava em minha mente

Relutante não quis aceitar

Já mais acreditei ser possível sentir

O sabor da paixão

A metade que me completava

Acabava de entrar em minha vida

De um modo estranho

Mas eras tu a minha metade

A parte que me faltava

Tu completas meu ser

Nossa sintonia

Se nota em nossos olhos

Se entendem sem palavras

Nossos corpos se tocam de um jeito

Já mais sentido

Se completam em união total

Numa frenética incontrolável

Somos duas metades unidas pelo tempo

O destino nos em caminhou ate aqui

Juntos mas separados estamos

De um modo único só nosso

Minha alma gémea

Meu amor eterno

Minha doce paixão

És tu….E eu sou tua

Atravessei mares revoltos

Tempestades tresloucadas

Até chegar a ti

Eu sou tua

Tu és meu

Somos

Almas gémeas

Lembranças...

Meus lábios ainda sentem o gosto dos teus beijos...

meu corpo teima em guardar o perfume das tuas entregas,

quando juntavas estrelas aos meus pés, inebriado pelas carícias que minhas mãos descobriam

na geografia da tua pele.

Entre murmúrios e silêncios, teus desejos paravam o relógio,

para prolongar infinitamente a permanência dos meus olhos deitados,

sob teus prazeres escondidos.
Adivinhava-te, e a cada toque, tua pele rendia-se em confissões de arrepios e tremores...

carinhos te vestiam do meu cheiro, enquanto uma nesga da lua, beijava nosso amor.

Desenhava atrevidamente o contorno dos teus traços com a ponta dos meus dedos,

enquanto teus olhares perdiam-se em declarações inconfessáveis.

Como um náufrago, te socorrias das minhas emoções, mostrando-me os caminhos das tuas vontades.


Teu olhar de cumplicidade soletrava a fome que sentias dos meus beijos...

minha boca andarilha, entreabria-se num ritual de oferenda,

mergulhando no poço aveludado das tuas sedes.

Nossos corpos amanheciam contando ao sol os segredos e

poemas que esculpíamos sob o olhar cúmplice da lua...

palavras e sons que se derramavam dos lençóis coadjuvantes dos nossos encontros.
Quando te despedias, teus abraços ecoavam por horas à fio entre meus braços.

Meus olhos, presos aos teus, seguiam-te até que a noite te trazia em promessa de eternidade...

eternidade que durava , apenas até um novo amanhecer!

Que importava?

Meu coração, banhava-te nas águas verdes do meu mar

e eu me vestia do luar que tanto te encantava, para entoar novas notas musicais no teu corpo.
Agora, entre nuvens negras preguiçosas, meu coração te busca em saudade...

meus pensamentos renitentes não se cansam de estar em ti.

Foste sem que teu coração me dissesse adeus, porque só tuas mãos acenaram,

como se eu não percebesse nelas também sofrimento!

Teus olhos mudos, endereçavam-me uma súplica em tornado.
Enquanto partias, tentei unir duas estrelas no céu com um laço de fita,

pois era na companhia delas que teus lábios me encontravam!

A lua adormeceu minhas esperas, enquanto acordava o sol...

ao raiar de um novo dia, percebi que o laço já não ligava estrela alguma!

A Carta de Deus



Tu és um ser humano, és o Meu milagre.
E és forte, capaz, inteligente, e cheio de dons e talentos.
Conta teus dons e talentos. Entusiasma-te com eles.
Reconhece-te. Aceita-te. Anima-te.
E pensa que desde este momento podes mudar tua vida para o bem,
se assim te propões e se te enches de entusiasmo.
Tu és minha criação maior. És meu milagre.
Não temas começar uma nova vida. Não te lamentes nunca.
Não te queixes. Não te atormentes. Não te deprimas.
Como podes temer se és meu milagre?
Estás dotado de poderes desconhecidos para outras criaturas do Universo.
És ÚNICO. Ninguém é igual a ti.
Só em ti está aceitar o caminho da felicidade
e enfrentá-lo seguindo sempre adiante. Até o fim.
Simplesmente porque és livre.
Em ti está o poder de não amarrar-te às coisas.
As coisas não fazem a felicidade.
Te fiz perfeito para que aproveitasses tua capacidade,
e não para que te destruísses com teus enganos mundanos.

Te dei o poder de PENSAR.
Te dei o poder de AMAR.
Te dei o poder de IMAGINAR.
Te dei o poder de CRIAR.
Te dei o poder de PLANEJAR.
Te dei o poder de REZAR.

E te situei o poder dos anjos quando te dei o poder da escolha.
Te dei o domínio de escolher o teu próprio destino usando tua vontade.
O que tens feito destas tremendas forças que te dei?
Não importa! De hoje em diante esqueça o teu passado,
usando sabiamente este poder de escolha.

Opta por SORRIR em lugar de chorar.
Opta por CRIAR em lugar de destruir.
Opta por DOAR em lugar de roubar.
Opta por ATUAR em lugar de adiar.
Opta por CRESCER em lugar de consumir-te.
Opta por BENDIZER em lugar de blasfemar.
Opta por VIVER em lugar de morrer.

E aprende a sentir a Minha presença em cada ato de sua vida.
Cresça a cada dia um pouco mais no otimismo e na esperança!
Deixa para trás os medos e os sentimentos de derrota.
Eu estou ao teu lado. Sempre.
Chama-me. Busca-me. Lembra-te de mim.
Vivo em ti desde sempre e sempre te estou esperando para amar-te.
Se hás de vir até Mim algum dia.. que seja hoje, neste momento!
Cada instante que vivas sem Mim, é um instante infinito que perdes de Paz.
Procura tornar-te criança... simples, generoso doador,
com capacidade de extasiar-te
e capacidade para comover-te ante à maravilha de sentir-te humano.
Porque podes conhecer Meu amor, podes sentir uma lágrima,
podes compreender uma dor.
Não te esqueças de que és Meu milagre.
Que te quero feliz, com misericórdia, com piedade,
para que este mundo em que transitas possa acostumar-se a sorrir,
sempre que tu aprendas a sorrir.

E se és Meu milagre, então usa os teus dons e muda o teu meio ambiente,
contagiando esperança e otimismo sem temor porque...

EU ESTOU AO TEU LADO !

DEUS.

(Desconheço autor)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Antes de você em minha vida


Antes de você em minha vida, eu não tinha este rosto que hoje tenho,
Nem meus olhos eram tão reluzentes
Antes, meus lábios não tinham sabor, se não do esquecimento
E minhas mãos, eram frias e sem forças, inertes e mortas, não sabiam tocar,
Não recebiam carícias e nem sabiam acariciar.
O coração?
Ah! Este, eu não tinha, se o tinha estava escondido, pois antes de você eu não tinha saudades para me tirar o sono, não tinha ciúmes para roubar-me o sossego, e nem tinha ansiedade em ver alguém o tempo todo com tanta freqüência, nem a necessidade de saber todos os dias como estás? Como fora a noite anterior?
Como está sendo o início ou o final do seu dia?
Ainda não tinha percebido esta mudança brusca e tão fácil, mas que tornou-se o meu viver melhor e com muitos outros sentidos.
Hoje olho no espelho e consigo ver refletida a imagem de alguém feliz, que pode se dar o desfrute da felicidade de sinonimizar a existencialidade do amor, da ternura e da paixão um sentimento indescritível.
Se a mim perguntarem o segredo de tão louca mudança?
Serei capaz de responder:
Isso. Ah! Isso é o amor.
Jazon Pereira

ASSIM:

Eu quero assim: que tu deixes tudo que é teu registrado em mim.
Deixe a marca dos teus beijos ao menos um pouco
e também dos teus desejos espalhadas pelo meu corpo.
Deixe teu cheiro nele perpetuar como se tu fosses
uma flor em mim a desabrochar.
Deixe dentro dele marcado a ferro e fogo o teu gozo.
Deixe os teus sons eternamente ecoando em meus ouvidos.
Deixe guardado na minha memória os sonhos que tens comigo.
Deixe gravada em meus olhos a tua visão pode ser em qualquer direção.
Deixe o teu gosto misturado ao meu,
não desfaça essa receita que o acaso nos deu.
Deixe um contrato assinado em meu corpo por ti
tão desejado que nunca, o teu, dele será afastado.
Eu quero tudo desse jeito.
Quero tatuado em meu peito o teu nome que é tão curto,
com letras transparentes numa caligrafia imponente.
Assim ninguém há de notar que tu foste meu
em algum dia, em algum lugar.

SOL e a LUA


Tão apaixonados e tão separados
O sol e a lua
Foram condenados a se amarem na distancia
Quando um dorme outro acorda

Durante o dia a lua se cobre com um véu
O sol ilumina tristes seus dias dividindo o mesmo céu
Sem cometer nenhum pecado
Foram destinados e viverem solitários

Seu amor é tão forte assim como suas luzes
Quando acontece deles se encontrarem os humanos não podem ver
Acontece um eclipse e eles apagam a luz para se amarem
É um momento mágico

Os amores poderiam ser assim
Superar as distancia e os obstáculos
Por mais que o sol ame a lua
Nunca conseguiu ver ela completamente nua

Desisto

Não sei quem é você
que um dia pensei conhecer.
Dentro de si habita vários seres:
alguns abraçam a vida ao amanhecer,
outros matam sonhos antes do anoitecer.
Nunca sei com qual deles encontrarei
mas não tenho dúvidas que me ferirei.
Certo é que ficarei com meus prantos
num soluçar amargo de desencantos.
Fecho-lhe agora as portas da minha companhia
com a chave que me deu de esperança vazia.
Não permitirei mais que semeies
fartos campos de desilusão,
nem plante tuas amarguras
no jardim que há no meu coração.
Retiro-me em silêncio, neste momento.
Jogo a toalha da paciência
no mar de tentativas de lhe entender
pois não sei quem é você
e não quero mais lhe conhecer

Onde estás?

Onde estás agora que não ouves
meus pensamentos a te chamar
e porque se retira em silêncio
deixando meu coração agonizar?

Que amor tão grande é esse
que desaparece na madrugada
deixando um rastro de saudade
e minha alma vazia amargurada?

Onde está aquele sentimento
que juraste por mim ter
se desprezas a minha dor
e ignoras o meu sofrer?
Que amor tão grande é esse
que não consegue por um momento
deixar de pensar somente em si
e imaginar o meu tormento?

Onde está aquele amor bonito
que tantas vezes fez minha alma vibrar
e em momentos de pura ternura
me levava contigo a viajar?
Que amor eterno é esse
que me cobre de incertezas
e quando eu mais preciso de ti
fico só com as minhas tristezas?

Onde está o meu amado
para enxugar o meu pranto,
devolver minhas esperanças perdidas
e cercar minha vida de encanto?
Talvez teu amor não fosse grande assim
ou pelos caminhos sombrios se perdeu.
Queria as lembranças bem longe de mim
mas meu coração é todinho teu

DESPEDIDA

Pegarei todos os meus sonhos
e os despacharei em envelope pardo,

destinatário incerto, sem remetente
Passarei um pincel escuro no arco-íris
que inocentemente eu desenhei,
carregado de cores.
Amassarei de vez todas as flores de mentirosas
esperanças e arrancarei até mesmo os falsos
botões que estão por vir.

Nublarei a noite quando ela me escancarar a lua cheia,
apagarei uma a uma,
todas as estrelas que teimarem em tremeluzir.
Tingirei de cinza a manhã mais luminosa do
meu santuário emudecerei o canto do meu
sabiá canoro e não farei mais festa para o meu colibri.

Desfarei todas as pegadas do caminho,
onde os teus passos e os meus estiveram perfilados.

Encherei de colcheias e semifusas confusas
todos os fados e canções que arrancaram
lágrimas deste meu coração emocionado.
Farei em pedacinhos,pequenas e grandes
lembranças palpáveis,
sem esquecer aquele CD e o vestido de marquinhas,
aquele que você gostava, mas não chegou a conhecer.
Destroçarei também as recordações não palpáveis,

que um dia me deram provas incontestes do teu amor
E dizimarei todas as angélicas hostes que me
atrelaram a ti, esquecidas da minha dor.
E , se porventura em sonhos,
minha alma desvairada te buscar e,

em prantos te encontrar andando pela rua,
Abraça-me, com aquele carinho de antigamente
Porque sonhando, nossas almas não mentem
E a minha te dirá que ainda...SOU TUA !

A TUA ESPERA



Sons delicados de mil violinos
espalhando ternura imensa no ar
misturam-se ao suave perfume
que coloquei
só para te esperar!

Com as cortinas cerradas, deixo abertas as janelas
para o frescor da noite envolver meus desejos...
Todo o cuidado é pouco e nada vai faltar:
esta noite reservei
só para te amar!

Velas acesas, tênue luz a brincar
com meus pensamentos que dengosos te chamam.
Vem, não demores, apressa teus passos...
Hoje preparei para ti
o melhor dos meus abraços!

Permito-me embalar pela doce emoção
de te sentir tão somente meu, tão próximo
que meu peito por ti brada e reclama,
pois sente que se acende
uma nova chama!

Brindemos à vida outrora esquecida
nos rumos traçados sem tanta emoção.
Brindemos ao acaso, ao antes, ao depois!
Brindemos ao que a vida reservou
para nós dois!

Vem correndo, amor! Nada mais nos separa!
Não temos passado, o futuro nos saúda,
e esta noite, te prometo, todos os sonhos realizar.
Vem, amor!
Estou pronta para te amar!

NAMORAR É ...

Trocar olhares que se fecham
para a lágrima que escorre mansa
que sorrateira aflora;
De alegria ou saudade
Do beijo ou do doce afago!
De qualquer maneira, namora!

Namorar é estar perdida em pensamentos,
dia e noite,
é sorrir com o olhar distante, em nada!
Ser jovem e madura, criança
e ter cabelos brancos,
Namorar é tudo ao mesmo tempo,
hoje, agora!
Ser admirada e viver cada momento aos "trancos"...
Ter pressa ou caminhar lenta
e preguiçosamente!
Namorar é ser mestra e aluna
de abraços e ternura,
é caminhar juntos, buscar horizontes;
Sentar na calçada pra cantar e conversar;
é um sorrir e explodir constante!
Namorar é perder-se, verdadeiramente,
buscando o outro!

A linguagem dos olhos

Falta ainda a linguagem do gosto!
Que gosto terá sua boca quando
colada na minha?
Que indizível prazer devo sentir ao te percorrer?
Que doce delírio sentir tua boca,
todo o meu corpo morder...
Falta ainda a linguagem do tato!
Como será o entrelaçar das nossas
trêmulas mãos?
O abraço tão apertado que poderemos
ouvir nossos corações,
pulsando sôfregos e descompassados
em meio a tão arrebatadoras emoções...
Falta ainda a linguagem do cheiro!
Não o cheiro da minha ou da tua
preferida colônia.
Mas o nosso cheiro, natural,
hormonal, quase animal.
Falando da premência da entrega,
assim sem nenhuma cerimônia...
Porque eu já conheço a tua voz acariciante.
Porque eu já conheço a tua
melancólica expressão.
Porque eu já conheço o teu complicado sentir.
Porque eu já conheço a tua férrea razão.
Mas que presunção a minha,
eu achar que te conheço.
Não porque falte o tato, o olfato e o paladar.
Eu só poderei dizer que realmente te conheço
quando, olhos nos olhos,
a tua Alma eu puder sondar.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

VENHA LOGO... por favor!

Eu tenho procurado por você faz tanto tempo... Acho que tenho procurado você por toda a minha vida.

Não sei que fim levou você, ou em que planeta se escondeu, porque eu sei que você existe e que está do mesmo jeito que eu — buscando por mim, sem saber direito que existo e que estou aqui, esperando por você

Só sei que, de repente, fiquei cansada e desisti de aceitar da vida o que ela tinha pra me oferecer e, por causa disso, os últimos anos foram muito difíceis. Agora parece que acordei abruptamente, e quando olhei em volta, percebi que o mundo havia se desabitado de verdade e que as pessoas estavam cada vez com mais e mais pressa de passar e não deixar marcas. E não consegui mais contato com ninguém que se aventurasse a ir além de arranhar a superfície pra procurar através daquilo que parece, e não é.

Já tenho quase cinqüenta anos e ainda estou à sua procura, e, se passar mais outro tanto sem você chegar, juro que vou enlouquecer. É por isso que preciso que você venha logo, entende, pra gente tentar ser feliz enquanto é possível respirar, pra que a gente possa caminhar por aí dividindo alguns sonhos e, ainda que não tenha muitos, prometo que ajudo a sonhar os seus, porque nesse tempo de esperar por você nem tenho mais dado conta de ter meus próprios sonhos.

Eu sei como você é e que gosta de madrugada e de dia de sol, e também que não vai se importar se, vez por outra, eu falar baixinho, pedindo que me dê a mão para eu poder dormir porque preciso me sentir amparada no meu sono; e que não vai se incomodar de ser muito amado, nem se sentir desconfortável quando eu disser "eu te amo" mais do que é permitido no manual da boa moça, porque, afinal, não sou nem boa, nem moça... Sou uma mulher querendo muito dizer “eu te amo” pra você.

Quero mesmo é respirar e sentir o seu hálito quente em meu rosto, e seus dedos alisando, de mansinho, as rugas que se formarem em volta dos meus olhos quando eu sorrir, dizendo bom-dia, porque sei que o dia que começar com sua cabeça no travesseiro ao lado, com certeza só poderá ser bom, infinitamente melhor que os dias em que acordo e amontôo os travesseiros para que a cama não pareça assustadoramente vazia, como tem parecido nestes últimos anos.

Ah, e quero rir... E rir de qualquer bobagem que seja, porque houve um tempo em que meu riso tinha um valor imensurável e fazia parte do meu charme, e eu sei que em algum lugar de mim ele ainda existe à espera de espaço para fluir e se fazer presente... Quero sair de dentro de mim sem medo de não ser aceita nem compreendida porque, quando você conhecer a mim, vai me amar do mesmo jeito que eu vou amar você. E, então, meu riso vai brotar de dentro de mim, pra você.

Eu fico aqui pensando que você deve ter se cansado de me procurar e ficou assim, que nem eu, perdido nesse marasmo; mas ainda tem jeito de você chegar porque, afinal, ambos estamos tanto tempo à procura um do outro mesmo, que nada melhor que nos encontremos de uma vez. Então, desça desse planeta quase extinto e veja se chega pro café da tarde, mas não espere que tenha bolo de fubá na mesa, pois preciso confessar a você que não sei cozinhar, nem fiar, nem bordar, nem fazer essas coisas todas que ensinaram a você que as moças prendadas faziam.

Por outro lado, tenho meus encantos. Faço um silêncio pra lá de especial, sei caminhar macio e parecer invisível, quando necessário, e também adoro jornal espalhado pela casa, ainda que dividido em seções possa parecer mais civilizado. E farelos... sou doida por farelos por todos os lados e não dou a mínima se tiver roupa atirada por aí, contanto que você aqueça meus pés nas noites frias de inverno.

Pensando bem, preciso também dizer a você que, nestes anos em que está demorando pra chegar, adquiri alguns hábitos não muito saudáveis, como, por exemplo, comer fora de hora e nunca à mesa, dormir tarde e acordar mais tarde ainda... Mas tenho certeza de que podemos ajustar os relógios e encostar nosso tempo de ser feliz, e eu até prometo abrir mão dos farelos, se você precisar dormir em um lençol impecavelmente esticado; e embora odeie futebol, prometo nunca perguntar que graça tem vinte e dois bonequinhos correndo atrás de uma bola. Nessa hora, vou estar na cozinha vigiando o microondas estourar pipocas pra você.

Não sei porque você ainda não despencou dessa árvore onde pendurou sua desesperança, mas eu torço que você esteja escorregando dela e que caia direto nos meus braços abertos à sua espera, pois aí nós vamos poder dançar descalços pela vida por um bom tempo ainda, já que o amor rejuvenesce e revigora a gente e, afinal, que importa se nossas idades somadas perfazem mais de um século, quando há toda uma eternidade à nossa espera?

Eu sei que você existe e está apenas esperando que eu lance à sua praia a garrafa com o fatídico bilhete amarelado pelo tempo, dizendo: "Venha me buscar." Mas acho que você também perdeu a esperança, pois tenho mandado meu navio atracar seu porto todos os dias, e você nunca está lá.

Outras coisas preciso lhe contar: é que meus cabelos agora estão brancos, e eu os pinto pra disfarçar; mas aí, fico pensando que não deve ter lá tanta importância porque, com certeza, se você tiver os seus, ainda, serão brancos também; e isto me faz lembrar que se, por acaso, você tomou cerveja demais ao longo da vida eu não vou me incomodar que isto tenha lhe dado barriga, desde que você não se importe que eu não possa mais andar de minissaia.

Ah, tem coisa à beça que quero lhe contar desse tempo de esperar por você, mas prefiro que seja baixinho no seu ouvido, pois alguns pecadinhos ditos em voz alta podem parecer maiores; por outro lado, a gente pode fazer um pacto de silêncio e começar tudo outra vez, e criar um tempo novo, onde sejamos apenas eu, você e mais nada.

Agora, eu acho que fotografias de netos vão acabar aparecendo, de um jeito ou de outro e, nesse caso, é bom que você saiba que, embora avó, tenho muito da menina por quem você tem procurado pela vida afora. Ainda há luzes nos meus olhos, minha boca continua macia e eu sinto que quando você me tocar as sensações da adolescência e da primeira vez vão estar todas ali, do jeito que você espera.

Olha eu aqui! Mesmo que eu não seja exatamente como você me criou em sua imaginação, quero que compreenda que passaram anos desde que você começou a me procurar. Por isso, procure enxergar além de mim mesma, através da roupa que me veste, do corpo que me cobre a alma, e descubra a mim, aquela que sou na minha essência e que tem estado todo esse tempo à sua espera.

Ah, esqueci dizer-lhe uma última coisa: pode chegar a qualquer hora, viu, porque qualquer hora é hora de chegar... E você vai ser muito bem-vindo quando, então, abrir a porta e habitar meu mundo, e nossas solidões puderem se alisar até se diluírem no calor do nosso abraço. E, depois disso, nunca mais seremos sós. E ficaremos finalmente em paz.
Maria Tereza Albani*

Eu fui...agora eu sou

Fui perfeita, correta e fiel.
Cumpri ordens, acatei desejos que não eram meus!
Servi café, almoço e jantar.
Fui café, almoço e jantar!
Fui a dama que me cobraram e a "mulher-dama" que desejaram.
Sorri "colgate", mas abri um sorriso amarelo quando cansei das convenções.
Fui menina e brinquei.
Fui madura e me rebelei.
Fui eu, elas...fui todas...
Hoje a meninice virou maturidade.
O sorriso é espontâneo.
Sou correta ou totalmente errada na medida do que quero.
As ordens são minhas...apenas para mim.
Não sirvo mais café, almoço muito menos jantar.
Me delicio com cada refeição que me ofereço.
Continuo uma dama e uma "mulher-dama" quando necessário. Mas por puro prazer.
Chutei as convenções, o balde e a bola em gol!
Um golaço!!!!!!!!!!!!!!!!
Gol da maturidade.
Do entendimento de que sou alguém que desconheci por um breve tempo.
Da mulher que se assume sozinha,
Que sabe o que quer,
Que se aventura sem medos...
Sem algemas, sem pressões...
Uma mulher que deixou de ser para simplesmente...
Ser!
Andréa Maia

Magia Infantil



Nas mãos das crianças o mundo vira um conto de fadas,
porque na inocência do sorriso infantil,
tudo é possível, menos a maldade.
Crianças são anjos,
são pedaços de Deus que caíram do céu para nos trazer a luz viva
que há de fazer ressuscitar a verdade que vive escondida em cada um.
De braços abertos a criança não cultiva inimigos,
sua tristeza é momentânea.
De olhos abertos a criança não enxerga o feio, o diferente,
apenas aceita o modo de ser de cada um que lhe dirige o caminho.
De ouvidos atentos a criança gosta de ouvir tudo
como se os sons se misturassem formando uma doce vitamina de vozes,
vozes que ela pode imitar, se inspirar para crescer.
Questionando, brincando, a criança está sempre evoluindo,
achando esse mundo um Paraíso,
mas a criança sabe no seu interior o que é o amor
e quer sugá-lo como se fosse seu único alimento,
não lhe dê uma mamadeira de ódio,
pois com certeza sua contaminação seria fatal e inesquecível.
Criança me lembra: cor, amor, arco-íris, rosas,
doce de brigadeiro,
tintas das cores: vermelha, laranja, azul, amarelo;
me lembra cachoeira, pássaros, dia de festa.
Ser criança é estar de bem com a vida,
é ter toda a energia do Universo em si.
Autora Rosana Pinheiro dos Santos

A BALA FATAL




a bala fatal
não é aquela
que tomba o corpo
definitivamente

tão pouco é a da dor única
e derradeira

fatal é a bala
que acerta o ninho de sonhos
em cheio
e estilhaça-o em pedaços tantos
de se perder a conta
e não mais se conseguir juntá-lo
num só.

a bala que tomba o corpo
sangra só uma vez.

a outra,
dói todos os dias
pro resto da vida da gente.

® Ademir Antonio Bacca

Mudança

Muitas vezes, nos enchemos do modo como vivemos, agimos, pensamos, falamos e até mesmo sonhamos. E imaginamos, um dia, mudarmos isso. Será que somente poucas pessoas são assim? Provavelmente, muitas pessoas procuram esta mudança, porém, muitas vezes não conseguimos encontrá-la no lugar em que vivemos e queremos, principalmente porque as pessoas ao nosso redor vivem e pensam diferente do que nós queremos e somos. Imaginamos sair do local onde estamos para encontrar aquilo que buscamos e precisamos. Na maioria das vezes, não existe esse lugar, e, então, procuramos achá-lo, mesmo que não exista na realidade, mas em nossa cabeça. A maioria das pessoas imaginam um lugar onde pudessem viver da maneira que realmente são, sem que as pessoas as julgassem e as fizessem sofrer, mas também um lugar onde houvesse paz, harmonia, alegria, fidelidade, verdade... Onde o amor reinasse e os problemas não existissem e a emoção pudesse prevalecer sobre a razão. Porém, sabemos que isso é impossível, pois não podemos e nem temos condições para tal, mas podemos fazer com que o local onde vivemos seja melhor do que é, a partir do momento em que fizermos a nossa parte para melhorá-lo e lutarmos para que o mesmo aconteça com as outras pessoas. E assim realizar um pouco do que imaginamos e sonhamos.

Pensamentos

Sozinho, meu pensamento focaliza em alguém. Deixo-o livre, e de repente meu coração aperta. Mas não estou triste, pelo contrário, deixo escapar um sorriso. Comer não me parece tão importante, agora me sinto alimentado por outra coisa. Acordo sempre com os mesmos pensamentos, e os mesmos me impulsionam a ter um grande dia. Quando te vejo sinto coisas estranhas, mas boas. Quando falo com você minha cabeça pensa direito, mas minhas palavras saem embaralhadas, e minhas mãos ficam suando. Meu pensamento focaliza alguém, esse alguém é você. É, estou amando.

Bob Marley

Nada mais tem valor

Quantas pessoas existem por aí vivendo como se não fosse possível ter sentimentos porque um dia foram magoadas. As pessoas mais duronas, que parecem indiferentes ao amor, carinho e ternura, são pessoas endurecidas pela vida. São vítimas de uma dor que não souberam gerir. Uma empresa mal administrada vai à falência; um coração mal dirigido vai à ruína. Somos nós os gerentes da nossa vida.

Há pessoas que calejam nosso coração. Fazem parte da nossa vida e as amamos, mas nos fazem mal. Tanto e tanto que acabamos fechando aos poucos as portas do nosso coração a outras possibilidades.


Ficamos cegos pelo capitalismo e loucos pelo poder
Temos edifícios mais altos e estradas mais largas
Gastamos mais, porém desfrutamos menos
Temos casas grandes, porém famílias menores
Temos mais compromissos, porém menos tempo
Temos mais conhecimentos, porém menos discernimento
Temos mais remédios, porém menos saúde
Aumentamos nossos bens e reduzimos nossos valores humanos
Falamos muito, amamos pouco e odiamos demais
Fomos à Lua e temos problemas para atravessar a rua e conhecer nosso vizinho.
Conquistamos o espaço exterior e não o interior
Temos dinheiro e menos ética
Temos mais liberdade e menos alegrias
Temos casas lindas e mais lares desfeitos
Temos mais informação e menos conhecimento
Amamos em silêncio e odiamos aos gritos para que todos saibam
Temos mais divertimento, mas somos mais tristes
Temos mais amores, porém, a maioria não são verdadeiros
Não enxergamos as belezas do mundo, mas os defeitos das pessoas não passam despercebidos
Queremos mais e temos menos
Vivemos mais e somos cada vez mais sozinhos
Criticamos mais e perdoamos menos
Temos pena de um desconhecido e massacramos nossos entes queridos
Ajudamos órfãos e viramos as costas para nossos filhos
Recebemos muito e doamos pouco
Temos mais beleza física, porém falta beleza nas almas
Temos mais Inteligência e a usamos para criarmos armas mais poderosas para matarmos nossos semelhantes
Vivemos mais e morremos mais cedo por dentro
Temos tudo, mas nada tem valor verdadeiro.

Tudo se Repete

Engraçado, como a vida se repete e, na maioria, das vezes, a gente nem se dá conta disso. Talvez não seja a vida que se repita, talvez sejamos nós, que na nossa mais absoluta falta de originalidade, que nos repetimos sempre, sempre, sempre...Queremos, exigimos, demandamos mudanças, novidades e revoluções em nossas vidas, no entanto, acabamos por cometer sempre os mesmos erros, seguir pelos mesmos caminhos, procurar os mesmos tipos de pessoas aos quais já estamos habituadas, bater nas mesmas portas...É sintomático, é mais fácil, é mais tranqüilo, pois essas trilhas nós já conhecemos de cor e sabemos aonde vão dar, então por que mudar aquilo que já nos é familiar ? Ai está a grande questão...Queremos mudar, porém, não queremos sair da nossa “zona de conforto”, daquilo que já é sabido, dominado e experimentado. É sempre assim, buscamos as mudanças, mas não fazemos nada para consegui-las e assim a vida se repete a cada instante...Você já se deu conta desses questionamentos todos? A vida é cheia de infinitas possibilidades, existem milhares de caminhos a serem trilhados, existem milhões de pessoas no planeta e nós acabamos repetindo sempre o mesmo padrão. Vivemos relacionamentos que são “colas”/cópias exatas dos outros que já tivemos. Buscamos pessoas “clones” daquelas com as quais nos relacionamos anteriormente e com as quais fomos extremamente infelizes. O padrão continua. Somos incapazes de mudar e sabemos apenas reclamar, reclamar e reclamar. Nada está bom, tudo é complicado, difícil e insuficiente. Chega de comodismo, chega de mesmice, chega de vidas chatas e enfadonhas...Faça a sua parte e busque dentro de você aquilo que você tem de melhor, pois somente as suas atitudes serão capazes de impedir a eterna repetição da sua vida. Coragem, pois a batalha é árdua, difícil, exige esforço e dedicação, mas o final será sempre muito gratificante e compensador, pois você terá vencido e terá mudado para sempre o rumo da sua vida. Tenha força e jamais desista de lutar e de viver, pois a vida é feita dessa eterna batalha e dessa constante transformação...Não queira continuar na eterna repetição, pois com certeza, você será infeliz e o único culpado será você mesmo...Mude sempre!!!