domingo, 31 de outubro de 2010

Sou apenas coração...


Esse coração
que trago guardado em meu peito
nem parece um coração maduro...
parece adolescente,
parece infantil...
só guarda ilusões e fantasias!
Ele sonha...
ele delira...
ele pensa apenas no amor,
ele sonha com romances
e doces histórias de amor!
Meu coração parou no tempo...
se recusa a crescer...
apesar de todas as desilusões de amor
ele ainda insiste em sonhar...
ele deseja desesperadamente o amor...
um amor doce e sincero para ser feliz!
Pobre tolinho...
porque não cresce e amadurece
e deixa dessas tolices
de amar alguém que só me faz chorar?
Meu coração parece um gatinho dengoso...
ele só quer carinho,
como ele queria que você gostasse de mim...
do mesmo jeito que eu gosto de você!
Meu coração permitiu
que você tomasse conta de todo meu ser,
agora não tenho mais razão,
eu não tenho mais vontade...
sou apenas coração!
Um coração
eternamente apaixonado
por você!

(Eleni Falcão)
Esse coração
que trago guardado em meu peito
nem parece um coração maduro...
parece adolescente,
parece infantil...
só guarda ilusões e fantasias!
Ele sonha...
ele delira...
ele pensa apenas no amor,
ele sonha com romances
e doces histórias de amor!
Meu coração parou no tempo...
se recusa a crescer...
apesar de todas as desilusões de amor
ele ainda insiste em sonhar...
ele deseja desesperadamente o amor...
um amor doce e sincero para ser feliz!
Pobre tolinho...
porque não cresce e amadurece
e deixa dessas tolices
de amar alguém que só me faz chorar?
Meu coração parece um gatinho dengoso...
ele só quer carinho,
como ele queria que você gostasse de mim...
do mesmo jeito que eu gosto de você!
Meu coração permitiu
que você tomasse conta de todo meu ser,
agora não tenho mais razão,
eu não tenho mais vontade...
sou apenas coração!
Um coração
eternamente apaixonado
por você!

(Eleni Falcão)

ESSA SAUDADE...Lambuzada de sonhos...



Que hoje me chega assim...
Lambuzada de sonhos...
De desejos impaciente...
De ternura e muitas fantasias...

Procuro pelo corredor da alma...
O corpo deste homem...
Do homem que eu amo...

Há essa saudade que me invade...
No final da tarde sem fazer alarde...
Meu corpo em chamas minha pele...
Transpirando desejo paixão e amor...

E silenciosa suspiro agora gemidos...
Nesta espera que invade minha razão...
Sinto-te na brisa suave da noite...
Vem deixa de lado o depois...

Abraça-me e se entrega sem mais...
Pensar na hora somente no agora...
Desperta em mim a fera no cio...

E se entrega nesse desejo...
Que habita em nós...
Já te espero não demore...

Não se perca no tempo do contratempo...
Minha saudade insana te conduzirá...
Pelos versos desnudos deste poema...
Que exalam amor paixão e desejo...

(Vania Staggemeier)

Venha Devagar...Deixe que eu entre para um passeio em seu coração


Deixe que eu entre
para um passeio em seu coração
amorosamente mansa...
Apetece-me fugir para dentro dos teus olhos.
Percorrendo os labirintos do seu ser.
Não deixe que qualquer angústia atinja o meu coração.
Venha devagar..

veja cada vinco do meu rosto é onde
o caminho da angústia se deteve...

Venha devagar...
Pouco a pouco, aloja em meu coração
Não faça que o passado se torne permanente
Toma em suas mãos o meu voo...
me traga o sonho...
Um castelo de areia, é tudo quanto quero
para acostar o meu barco de papel.

mas venha...venha devagar...
e me faça sonhar!

(Ignez Sparapanni)

Meu nome é MULHER! Meu sobrenome é COMPETÊNCIA




Meu nome é MULHER!
Eu era a Eva
Criada para a felicidade de Adão
Mais tarde fui Maria
Dando à luz aquele
Que traria a salvação
Mas isso não bastaria
Para eu encontrar perdão.
Passei a ser Amélia
A mulher de verdade
Para a sociedade
Não tinha a menor vaidade
Mas sonhava com a igualdade.
Muito tempo depois decidi:
Não dá mais!
Quero minha dignidade
Tenho meus ideais!
Hoje não sou só esposa ou filha
Sou pai, mãe, arrimo de família
Sou caminhoneira, taxista,
Piloto de avião, policial feminina,
Operária em construção...
Ao mundo peço licença
Para atuar onde quiser
Meu sobrenome é COMPETÊNCIA
E meu nome é MULHER..!!!!
(O Autor é Desconhecido, mas um verdadeiro sábio...)

" O lobo e a lua - mais uma história de amor impossível... "



O lobo nunca olhava para a lua, não precisava.

Sentia um comichão leve no focinho quando a lua estava cheia, e sabia que era hora de uivar aos espíritos do vento e da caça.

Por isso nunca precisava de observar o céu...

E quando erguia a cabeça para iniciar a sua oração canina, encerrava sempre os olhos, porque só assim conseguia gritar até ao mais alto agudo, sentindo a vibração da sua voz em cada pêlo do seu corpo.

Mas um dia, num momento de desconcentração, o lobo ergueu a cabeça de olhos bem abertos e a luz lunar derramou-se na sua visão, como uma cascata de prata líquida.

Durante minutos observou aquela visão desconhecida, num misto de espanto e adoração.

Nunca antes, nas suas noites de oração, se tinha apercebido da beleza da noite banhada de luar...

E ali ficou até o nascer do sol, extasiado com a forma, brilho e graça da lua, enquanto ao longe ouvia os outros lobos completarem o seu ritual, uivando alto na esperança de que os espíritos lhes abençoassem a caçada.

Com o passar do tempo a lua completou outro ciclo: encolheu-se até à lua nova, e alimentou-se de luz fresca para se tornar de novo cheia.

Mais uma vez, os lobos uniram-se em uivos distantes, latindo em uníssono a oração dos seus instintos.

Mas mais uma vez faltou o uivo agudo do lobo, e o vento soprou furioso, agitando as folhagens que em sussurros perversos espalharam pela floresta a notícia do lobo que deixara de uivar...

No ciclo seguinte, as noites tornaram-se mais frias e agitadas, sempre marcadas pela presença enlouquecida do vento.

Os seus sopros violentos atiravam passarinhos para fora dos ninhos, arrastavam coelhos e veados pelo chão, vergavam árvores anciãs...

Pouco a pouco, os animais foram fugindo da floresta, longe daquela flora desfigurada que já não constituía um abrigo...

E os lobos rosnavam baixinho enquanto dormiam, sonhando com as presas refugiadas no território de outras alcateias.

Uma noite antes da lua cheia seguinte, o vento soprou mais forte e determinado, arrancando do chão as raízes pesadas dos sobreiros que sinalizavam o refúgio dos lobos.

Os seus silvos assemelhavam-se ao uivar louco de um lobo velho, rebentando o peito no seu latido, como que a convocar a alcateia.

E assim, pouco a pouco, os lobos foram saindo do seu refúgio, uivando tristemente para uma lua precoce, quase cheia...

E no meio do seu choro cantaram o nome do lobo, aquele que deixara de adorar o vento e a caça, que se calara e condenara toda a floresta ao abandono.

Pela primeira vez naquele ciclo, o lobo distraiu-se na contemplação lunar, e ouviu próximos os lamentos da sua raça.

E nesse instante relembrou o seu instinto, voltou a sentir aquele comichão no focinho, aquela urgência de soltar na noite o seu grito agudo.

E uivou mais alto e mais claro do que nunca, deixando o seu latido cortar o céu, e atravessar a floresta e as montanhas até chegar aos ouvidos dos animais emigrados...

O vento por fim abrandou, e os latidos dos lobos apagaram-se com ele...

E o lobo ganiu baixinho, num lamento de tristeza e culpa pelo destino dos seus irmãos.

Caminhou lentamente pela floresta, magro e cansado, e olhou uma última vez a lua, pela qual se apaixonou assim que a viu, ao ignorar o seu instinto.

Ali caiu e ali morreu...

Na noite seguinte o vento soprou baixinho, acompanhando o uivar fúnebre da alcateia...

(Susana Castilho)

Eu prefiro achar que o amor surge na nossa vida quando a gente realmente se reconhece.




"O que você anda procurando no seu amor? A certeza da fidelidade? A igualdade na dedicação? A mesma intensidade de sentimentos? Não sei, não... Duvido que a gente encontre no ser amado tudo o que parece ideal. Duvido que o outro tenha pra dar tudo o que queremos ou que precisamos. Eu prefiro achar que o amor surge na nossa vida quando a gente realmente se reconhece. Quando a gente se olha e vê que somos exatamente o que queremos ser... Quando somos gêmeos de nós mesmos. O outro, na minha opinião, deve ser somente o que pode ser. E seja ele o que for, que não falte amor jamais. Que não falte amizade, nem companheirismo. O amor da gente não tem que ser igual, basta ser par. O amor da gente não tem que ser prêmio, basta ser presente. O amor da gente não tem que ser perfeito... Esse amor, definitivamente, não existe. Então, aceite o seu amor do jeitinho que ele é... Se ele for mesmo o seu amor. E mesmo não sendo gêmea, que ele seja a sua alma... A sua felicidade."
Lena Gino

Hoje é o Dia das Bruxas.Que todos os feitiços se virem contra os feiticeiros, e que dos nossos corações só brotem as poções de cura e amor.



Chegou o Dia das Bruxas. É Halloween!
O que você quer? Travessuras? Doces? Ou doces travessuras?
Tudo o que eu quero, minha doce alma, é que este dia nos seja mágico.
Que tudo o que existe de bom transpareça e floresça,
para que hoje seja realmente um dia encantado.
Que hoje, todos os bons pensamentos se façam realidade,
como se fossem movidos por varinhas de condão.
desconheço autor

Pode-se admirar um homem sem amá-lo. Mas não amar um homem sem admirá-lo.


Não vejo o amor sem a admiração. Admirar é desejar ser igual estando junto. Admirar-se. Admirar a gentileza do homem jurando por Deus. Admirar sua lealdade com os amigos. Admirar seu jeito esforçado de assumir as contas. Admirar seu cuidado treinado com os idosos, cedendo assentos e lugares nas frases. Admirar os princípios herdados dos pais. Admirar sua masculinidade em sobrecarregar no abraço. Admirar seu riso infantil, sua ingenuidade no tropeço. Admirar sua vivacidade em brincar. Admirar, admirar-se. Admirar a conversa que tem com o filho sobre quem cuida de Deus. Admirar seu temperamento sereno em noites de chuva. Admirar sua inquietude para sair com o sol. Admirar sua concentração numa música nova. Admirar inclusive quando ele amarra os sapatos, debruçado como a água nas escadas. Admirar seu nervosismo nas provas, nos concursos, nos exames do trabalho. Admirar sua letra com ânsias de terminar. Admirar sua falta de jeito em dançar, compensada pela alegria de estar contigo. Admirar seu modo de transar, sua fixação por poltronas. Admirar quando ele interdita o dia para arrumar aparelhos quebrados. Admirar o perfeccionismo que o impede de ser totalmente seu. Admirar quando ele dorme no meio do filme e finge que assistia. Admirar suas mentiras encabuladas. Admirar, admirar-se. Admirar sua disposição em ser mais velho no medo e ser mais novo no aniversário. Admirar suas meias sem par na gaveta, suas fotos esquecidas de datas, seus recados de telefone faltando números. Admirar sua capacidade em desmemoriar compromissos. Admirar ao circular o sabão nos seios como se fosse uma vidraça. Admirar seu talento em provocar amizades no trem ou na rua, pouco preocupado em se preservar. Admirar quando urra desaforos no estádio, logo ele tão civilizado, tão cordato na família. Admirar quando chora e não se enxerga lágrimas, um choro de soluços, recalcado. Admirar sua vocação para pegar a joaninha da gola e a pôr novamente na grama. Admirar como disfarça que perdeu um botão abrindo as mangas ou o zíper quebrado colocando a camisa para fora. Admirar suas palavras de amor, incompreensíveis, mas terrivelmente musicais, e dizer "não entendi", para escutar outra vez. Admirar suas calças apertadas, justas como minhas pernas nas dele na cama. Admirar sua respiração pesarosa com o luto. Admirar sua caça de baratas voadoras pela sala e perceber que ele tem mais pavor do que eu. Admirar quando gosta de um livro e me conta tudo como se eu nunca fosse ler. Admirar quando fica bêbado e se enrola no cobertor do meu casaco, desculpando-se por aquilo que ainda não fez. Admirar seus roubos nos tabuleiros de criança. Admirar sua dificuldade em se livrar dos pijamas gastos. Admirar sua barba por fazer em minhas coxas. Admirar quando me busca antes de pedir.

Pode-se admirar um homem sem amá-lo. Mas não amar um homem sem admirá-lo.



Fabrício Carpinejar

As bruxas sempre serão eternas...Mas as de hoje...São bruxas modernas.


Hoje, ser bruxo,

mágico, feiticeiro,

já é um luxo.

Bruxa já não usa vassoura e caldeirão,

hoje é cartomante viaja de avião,

vai comer ao restaurante mariscos e leitão.

Os seus andrajos e trapos, era vê-los...

Ela hoje vai a Paris e veste os melhores modelos.

Abóboras?

Bolas de cristal?

Não senhor!

Hoje a bruxa é internauta, e usa computador.

Abracadabras e tramas estão obsoletos...

Já tem modernos programas.

O mau-olhado e a varinha de condão?

Trocou por um teclado.

A bola de cristal?

Não senhora!

Tem scaner e impressora.

As bruxas sempre serão eternas...

Mas as de hoje...

São bruxas modernas.


Cândido.

Bruxas: uma história de magia e terror ...Nenhuma delas voava em vassouras ou tinha verrugas no nariz, usava chapéu preto ou cozinhava aranhas, mas é assim que, teimamos em lembrar delas no Dia das Bruxas.



O Halloween é conhecido também como o Dia das Bruxas. Brincadeiras à parte, o mito da mulher má, que fazia pactos com o demônio, nasceu na Idade Média, quando milhares de mulheres foram presas, acusadas de bruxaria e queimadas vivas. Hoje, elas são lembradas como figuras assustadoras, voando em vassouras e fazendo feitiços malévolos na festa do Halloween. Em outras culturas, porém, as mulheres sábias, que conhecem remédios e fazem curas, são respeitadas, procuradas pelas pessoas e, em muitos lugares, representam a fonte da sabedoria, a memória da comunidade e quase sempre, o único médico.




A vida em um mundo mágico
Desde os tempos em que habitavam as cavernas, na época que chamamos de Pré-história, as pessoas dividiam seus interesses entre a batalha pela sobrevivência e seus temores e crenças. Ao mesmo tempo em que criavam instrumentos para facilitar a coleta de alimentos e a caça de animais, criavam também os seres mitológicos que serviam para explicar tudo que acontecia. Os deuses antigos eram, em sua maioria, feminina. Como era a mulher que ficava na caverna ou na tenda, cuidando dos filhos, da cozinha e, depois, das primeiras plantações, ela se encarregou também dos medicamentos, do socorro aos doentes, das rezas e dos partos. Sábias depositárias dos segredos da maternidade e da morte constituíam o eixo da descendência. As sociedades conhecidas dessa época eram, portanto, matriarcais.
Entre todas as manifestações divinas, a maternidade era a que mais maravilhava as pessoas. O poder de gerar novas vidas dava à mulher um caráter sagrado. A criação do mundo era entendida como obra de uma Grande Mãe. Com o surgimento das sociedades agrárias, o culto à Grande Mãe floresce em todo o seu esplendor. Acreditava-se que a fertilidade dotava a mulher de poderes capazes de aumentar a fertilidade da terra e dos animais.







Do matriarcado ao patriarcado
"No princípio era a Mãe. O verbo veio depois". A frase da pensadora feminista norte-americana Marilyn French refere-se à passagem da cultura matriarcal para a patriarcal. O nascimento da agricultura e a definição dos territórios tribais levaram ao acirramento das disputas e das guerras. As concentrações humanas cresceram organizadas em torno da produção de alimentos e das lideranças guerreiras que lhes davam proteção. Essa mudança levou à queda das deusas e à criação dos deuses – fortes, guerreiros, conquistadores. A saga de Conan, levada para o cinema, nos dá uma idéia de como eram esses tempos. Os textos bíblicos também lembram essa época: a mulher obedece e serve. É mãe, cortesã ou prostituta e não tem poder político. Nas sociedades ocidentais, os deuses acabam dando lugar a um só deus, matriz das três principais correntes religiosas do mundo atual: o cristianismo, o judaísmo e o islamismo. A mulher passa para um segundo plano.





A sabedoria milenar das bruxas
Muitas mulheres, porém, continuaram nos caminhos da sabedoria, passando de mãe para filha os segredos do parto, das curas, das rezas, dos caminhos para o desconhecido, que hoje chamamos de mágico. Até a queda do Império Romano, a palavra bruxo designava apenas um praticante de magia. Esses bruxos – em geral, mulheres – eram pessoas ao mesmo tempo respeitadas e temidas nas comunidades.

Segundo o folclore europeu – principalmente dos povos nórdicos e germânicos –, os bruxos sentiam-se mais à vontade durante a noite, quando tinham encontros secretos com divindades do céu e da terra. As lendas se referem a eles como sábios que cavalgavam javalis ou lobos e faziam profecias. Merlin, que na lenda do rei Arthur preparou o menino para o reinado, é uma representação desses sábios. A fada Morgana, heroína celta do livro As Brumas de Avalon, é outra. Apesar da cultura patriarcal predominante, esses povos ainda apresentavam resquícios dos milenares cultos à Deusa-Mãe, representados pela forte ligação com os elementos da natureza.

No Brasil, encontramos essas mulheres sábias nas ruas, vendendo ervas de nossas matas, aconselhando e dando receitas para as doenças do corpo e da alma. Elas conhecem cada planta, seus princípios ativos e, nos últimos tempos, tiveram sua sabedoria reconhecida pela ciência. Muitas universidades pesquisam os efeitos desses remédios populares e há laboratórios que já industrializam essas medicações.

A magia do mundo celta
Entre os povos que habitavam a Europa no início da Idade Média, os celtas eram especialmente ligados à magia. Habitando uma terra que seria pródiga em gnomos e contos de fada, os celtas utilizavam feitiços para marcar os momentos mais significativos de suas vidas. Por exemplo: a coroação de um novo rei e o início da época do plantio ou da colheita.



As primeiras punições
Depois de um longo período de paz para as bruxas, os povos europeus da Idade Média mergulharam numa longa fase de perseguições àqueles que tinham crenças diferentes das do cristianismo. Por razões econômicas e religiosas, a igreja católica assumiu a caça às bruxas, construindo a idéia de que elas eram associadas ao diabo. Em quase toda a Europa, o tratamento era o mesmo: as leis permitiam que a família da vítima punisse a bruxa. A saga irlandesa Laxdaela, do século XII, conta à história de um casal de bruxos que foram apedrejados até a morte, acusados de ter causado, com feitiços, a morte de um garoto de 12 anos.
Já em 500 a.c., os franco-sálios – habitantes da região da atual França – afirmavam: "Se uma bruxa destruir um homem e houver provas de tal feito, ela deverá pagar à família da vítima uma multa de 200 shilings de ouro e uma soma menor caso a vítima apenas adoeça". A condenação à morte acontecia apenas nos casos em que a bruxa confessava sua culpa ou não podia pagar a multa. Mas os caçadores de bruxas aperfeiçoariam seus interrogatórios e cada vez mais mulheres acabariam confessando o crime de bruxaria.






Quando satanás entra na história
Depois da queda do Império Romano, a igreja católica foi à única instituição capaz de manter uma certa unidade cultural na Europa. E, com o passar do tempo, sua influência foi ficando mais e mais poderosa. Apesar disso, era comum que pessoas se declarassem cristãs, mas se mantivessem fiéis aos costumes pagãos de seus antepassados. Os povos nórdicos, por exemplo, mesmo depois de convertidos ao cristianismo, continuavam a fazer festas em homenagem a Thor. Acendiam fogueiras, realizavam antigos rituais, bebiam muito vinho e cerveja. Dançavam e cantavam.

Mesmo condenando essas práticas, a igreja não conseguia coibi-las totalmente. Apelou então para um expediente que se mostrou muito eficaz: incorporou as datas festivas pagãs ao calendário cristão. E, para acabar de vez com qualquer tipo de idolatria, passou a identificar os deuses pagãos à figura de satanás para se contrapor à figura de seus. E as punições foram se tornando mais cruéis. Em 787, um edital de Carlos Magno, dirigente do Império Romano (800 a 814), declarava: "Se alguém sacrificar um ser humano ao demônio e oferecer sacrifícios aos demônios obedecendo aos costumes pagãos, poderá ser levado à morte". O cenário para a caça às bruxas estava finalmente montado.
No início da Idade Média, a figura da bruxa má e feiosa assume seu lugar no imaginário popular. De antigas detentoras de conhecimentos milenares, ligadas à Deusa-Mãe, as feiticeiras passaram a ser vistas como "esposas do demônio", mulheres perversas capazes de todas as atrocidades.





A Inquisição espalha o terror
Primeiro, a igreja começou a perseguir os heréticos. Qualquer pessoa que interpretasse de maneira errônea os evangelhos era passível de punição. O primeiro grande tribunal público medieval contra as heresias – incluindo as bruxarias – foi organizado em Orléans, em 1022. Os réus eram reformistas que pregavam que o reino de deus estaria no coração dos homens e, por isso, as igrejas eram dispensáveis. O julgamento foi conduzido em segredo, sem a presença de um júri. Ninguém podia confrontar seus acusadores nem saber a identidade dos delatores. Foram todos condenados à fogueira.

Quando um acusado admitia sua culpa, era multado ou preso e todos os seus bens eram confiscados. Esses bens passavam para o controle da igreja. Daí, inclusive, o interesse de algumas autoridades nas condenações. Finalmente, a igreja católica criou, em 1233, a Inquisição. Em pouco tempo, essa terrível instituição espalhou o terror pela França, Itália e Alemanha, chegando com menos intensidade à Inglaterra, à Espanha, a Portugal e até mesmo ao Brasil.

É difícil precisar o número de pessoas condenadas à morte. Uma coisa, porém, é certa: entre todos os condenados à morte por bruxaria, mais de 85% eram mulheres. Algumas cidades realizaram mais de 600 execuções por ano, uma média de duas por dia, "exceto aos domingos".




Como interrogar uma bruxa
Em 1486, com as bênçãos do papa Inocêncio, Heirich Kramer e James Sprenger escreveram aquele que seria o livro de cabeceira dos inquisidores e torturadores dos séculos seguintes. O Malleus Maleficarum – O Martelo das Feiticeiras (Editora Rosa dos Tempos, 1991) ensinava como reconhecer uma bruxa e, principalmente, técnicas de tortura que deviam ser aplicadas para obter confissões. O livro unia as crenças folclóricas sobre feitiçaria com a doutrina da igreja sobre heresia e culto ao diabo. E consolidava definitivamente o desprezo pela figura da mulher: "O que é a mulher senão a inimiga da amizade?", escreveram os autores. "Uma inevitável punição, um mal necessário, uma tentação natural?". As mulheres seriam falsas, lascivas, mal-intencionadas e sem força de vontade. Totalmente voltadas para a convivência com o demônio "porque eva nasceu de uma costela de adão, portanto nenhuma mulher pode ser reta".

Em pleno Renascimento, época de grandes descobertas científicas e agitação cultural – às vésperas dos grandes descobrimentos –, a publicação do Malleus Maleficarum intensificou a perseguição às bruxas em toda a Europa. Em 1579, o concílio da igreja declara: "Todos os charlatães, adivinhos e outros que pratiquem necromancia, piromancia, quiromancia e hidromancia serão condenados à morte".





O fim das perseguições
Da mesma maneira como a caça às bruxas chegou, ela se foi. Fim da histeria coletiva? Ou indícios de que os interesses econômicos começavam a superar outros interesses? Afinal, se a matança indiscriminada trazia muitas riquezas para a Igreja, também causava prejuízos ao capitalismo que se formava. Eram milhares de trabalhadores em potencial mortos, cidades economicamente estagnadas pelo terror, pelos interrogatórios sem fim, pelas execuções em massa. A atuação da inquisição também era incompatível com a nova mentalidade científica que começava a despontar e que ficaria conhecida como Iluminismo. O mundo mais uma vez estava mudando e, neste novo horizonte que se delineava, não havia espaço para delírios espirituais.
Na Inglaterra, três velhas sofridas foram as últimas acusadas de bruxaria. Morreram enforcadas em 1682. Na França, curiosamente, a última vítima da caça às bruxas foi um homem. O frade Louis Debaraz foi queimado vivo em 1745, acusado de rezar missas para o demônio. Na Alemanha, o terror terminou em 1775, depois da execução de mais uma bruxa confessa: Anna Maria Schwagel.

sábado, 30 de outubro de 2010

Em silêncio no quarto você rasga devagar o seu pulso com as unhas para que eu possa beber



Você vai me abandonar e eu nada posso fazer para impedir.

Você é meu único laço, cordão umbilical, ponte entre o aqui de dentro e o lá de fora.

Te vejo perdendo-se todos os dias entre essas coisas vivas onde não estou.

Tenho medo de, dia após dia, cada vez mais não estar no que você vê.

E tanto tempo terá passado, depois, que tudo se tornará cotidiano e a minha ausência não terá nenhuma importância.

Serei apenas memória, alívio, enquanto agora sou uma planta carnívora exigindo a cada dia uma gota de sangue seu para manter-se viva.

Você rasga devagar o seu pulso com as unhas para que eu possa beber.

Mas um dia será demasiado esforço, excessiva dor, e você esquecerá como se esquece um compromisso sem muita importância.

Uma fruta mordida apodrecendo em silêncio no quarto.”
Caio Fernando Abreu

Isso se Chama Amor...Vale para qualquer tipo de amor..entre casais, entre amigos, é uma reverência ao amor..



Você surgiu como suave melodia trazida pela brisa; dilatou-se no silêncio de minha alma e fez-se moldura em meu viver.
Isso se chama ventura...

Há algo em você que transparece num olhar, como estrela no céu atapetado de astros e exterioriza-se num sorriso como canção tocada na harpa dos ventos.
Isso se chama ternura...

Sem olhar, você me percebe, sem falar você me diz, sem me tocar você me abraça...
Isso se chama sensibilidade...

Quando me perco em labirintos escuros você me mostra o caminho de volta..
Quando exponho meus tantos defeitos, você faz de conta que não nota...
Se enlouqueço, você me devolve a razão...
Isso se chama compaixão...

Nos dias em que as horas passam lentas, sem graça e sem luz, nos seus braços eu encontro alento.
Quando os dias alegres de verão partem e em seu lugar chega o outono, cobrindo o chão com folhas secas, e o verde exuberante cede lugar ao cinza, nos seus braços encontro harmonia.
Isso se chama aconchego...

Quando você está longe, no espelho da saudade eu vejo refletida a certeza do reencontro.
Nas noites sem estrelas, quando a escuridão envolve tudo em seu manto negro, você me aponta a carruagem da madrugada, que vem despertar o dia com suas carícias de luz..
Isso se chama esperança.

Quando as marés dos problemas parecem tragar em suas ondas as minhas forças, em seus braços encontro reconforto.
Se as amarguras pairam sobre meus dias, trazendo desgosto e dor, sua presença me traz tranqüilidade.
Você é um raio de sol, nos dias escuros...
É ave graciosa que enfeita a amplidão azul...
Você é alma e é coração.
É poema e é canção...
É ternura e dedicação...
Nada impõe, tudo compreende, tudo perdoa...
Sua companhia é doce melodia, é convite a viver...
... E, tudo isso se chama amor!

Surge depois que as nuvens ilusórias da paixão se desvanecem.
Que a alma se mostra nua, sem enfeites, sem fantasias, sem máscaras...
O amor é esse sentimento que brota todos os dias, como uma flor que explode de um botão ao mais sutil beijo do sol...

Isso, sim, se chama amor...
desconheço

OCÊ TÁ COM O N A R I Z T U P I D O ?


No Interior de Minas, um casal de primos caminhava pelo pasto de uma fazenda, até que viram um cavalo transando com uma égua, e a prima logo perguntou... .
- Carz Arbertoo..., o que é aquilo?
- Eis tão acasalano, sô! A égua tá no cio, o cavalo percebeu isso e ta mandano brasa!!!
- Mas como é que o cavalo sabe que ela tá no cio, primo?
- Aaara!!, é que o cavalo sente o cheiro da égua no cio, sô!
Passaram mais adiante, e tinha um bode transando com uma cabra, e a prima perguntou de novo, e o primo deu a mesma resposta.
Mais na frente, lá estava um boi pegando uma vaca, e ela tornou a perguntar, e ele deu a mesma resposta: que o boi também sentia o cheiro da vaca no cio.
Foi aí que a prima perguntou:
- Ô primo, se eu perguntá uma coisa pr'ocê, ocê jura que num vai ficá chatiado?
- Craro que não, prima! Ocê pode perguntá!
- OCÊ TÁ COM O NARIZ TUPIDO?

Como lidar com a paixão....Se voltar, sempre lhe pertenceu; se nunca voltar, nunca foi seu


Como lidar com a paixão....

Se dói, não é amor.


Perceba que quando você resolve amar alguém escolhe expressar

ou o amor egoísta, tipo Romeu e Julieta, ou o amor doação,

tipo Cyrano de Bergerac.

No amor egoísta, desejamos a pessoa amada a qualquer custo;

desejamos que seja nossa mesmo que alguém tenha que morrer por isso

- na realidade não amamos, desejamos ter a posse do ser amado.

No amor doação, amamos tanto alguém que queremos que essa pessoa seja feliz,

mesmo ao custo de nos afastarmos se sentirmos que a recíproca não é verdadeira.

Não existe amor egoísta, se é egoísta, dói e amor não dói; se dói é paixão.

O amor verdadeiro busca o bem da pessoa amada;

busca fazê-la feliz; busca transporta-la até a felicidade.

A paixão dói porque não acaba por igual, quando acaba para um,

pode ainda não ter acabado para o outro.

Paixão é cobrança, queremos o que achamos bom para nós

e quando acaba nos sentimos feridos; é como se tivéssemos

perdido alguma coisa (uma parte de nós mesmos).

No amor, queremos o que achamos bom para outro alguém,

se a pessoa decide partir respeitamos esse direito.

Imagine que sua auto estima seja um casaco que você despe

e coloca sobre os ombros da pessoa amada.

Quando o envolvimento acaba, você esquece de pegar

seu casaco de volta e então, ao olhar para a pessoa amada ou ao

pensar nela, você não vê os defeitos e as imperfeições que

todas as outras pessoas percebem nela.

É que o seu casaco está cobrindo essas imperfeições e impedindo

que a veja como ela realmente é.

Para recuperar a dimensão correta da realidade,

você precisa pegar o seu casaco de volta.

Se você sente desejo, tesão, vontade de ter um relacionamento sexual,

isso não é amor, é paixão.

Se você sente que aquela pessoa te pertence,

isso não é amor, é posse.

Se você for capaz de fazer qualquer coisa para recuperá-la

isso não é amor, é falta de auto estima.

Se você acha que é melhor agüentar o pior do que deixar essa pessoa

partir, isso é falta de amor próprio.

Se você acha que não consegue viver sem essa pessoa,

isso não é amor é dependência.

Se você gostaria de manter essa pessoa ao seu lado, mesmo sem sexo,

isso não é amor, ou é carência, ou é conformação ou é egoísmo.

Se o seu desejo acabou mas você continua gostando dessa pessoa,

isso não é amor, isso é amizade.

Lembre-se que só crescemos quando saímos de nossa zona de conforto,

quando um relacionamento acaba, abre-se um leque de novas opções para

conhecermos pessoas interessantes e iniciarmos novos relacionamentos.

A única lei imutável do Universo é que tudo muda!

Se voltar, sempre lhe pertenceu;
se nunca voltar, nunca foi seu,
mesmo quando estava a seu lado.

(Autor desconhecido)

Teu nome é uma ilha perdida dentro de mim


"Dias há,em que o teu sorriso
é uma ilha perdida dentro de mim
e o teu nome
o vento que muda as estrelas
para o dorso das andorinhas.
Dias há,em que procuro os teus olhos
e silenciosamente te digo "meu amor",
como se eles fossem peixes
e as palavras animais estranhos
capazes de turvar a paz
das grandes profundidades."
Isabel Meyrelles

DESABAFO DA MULHER MODERNA ...Acho que se identifica com muitas mulheres, em algumas coisas..senão... em todas!



DESABAFO DA MULHER MODERNA O DESPERTADOR TOCA E EU NÃO TENHO FORÇAS NEM PARA ATIRÁ-LO CONTRA A PAREDE... ESTOU TÃO CANSADA, NÃO QUERIA TER QUE TRABALHAR HOJE... QUERIA FICAR EM CASA, OUVINDO MÚSICA, CANTAROLANDO... SE TIVESSE FILHOS, GASTARIA A MANHÃ BRINCANDO COM ELES, SE TIVESSE CACHORRO, PASSEANDO PELAS REDONDEZAS... SE EU TIVESSE TEMPO, GOSTARIA DE FAZER ALONGAMENTO... BRIGADEIRO... TUDO MENOS SAIR DA CAMA E TER QUE COLOCAR O CÉREBRO PRA FUNCIONAR. GOSTARIA DE SABER QUEM FOI A MENTECAPTA, A INFELIZ MATRIZ DAS FEMINISTAS QUE TEVE A ESTÚPIDA IDÉIA DE REIVINDICAR DIREITOS DE MULHER.... QUERIA SABER PORQUE ELA FEZ ISSO CONOSCO, QUE NASCEMOS DEPOIS DELA... ESTAVA TUDO TÃO BOM NO TEMPO DAS NOSSAS AVÓS. ELAS PASSAVAM O DIA A BORDAR, TROCAR RECEITAS COM AS AMIGAS, ENSINANDO SEGREDOS DE MOLHOS E TEMPEROS. VEM UMA FULANINHA QUALQUER QUE NÃO GOSTAVA DE SUTIÃ E CONTAMINA VÁRIAS OUTRAS REBELDES INCONSEQÜENTES COM IDÉIAS MIRABOLANTES SOBRE "VAMOS CONQUISTAR O NOSSO ESPAÇO"!!! QUE ESPAÇO, MINHA FILHA??? VOCÊ JÁ TINHA A CASA INTEIRA, O MUNDO AOS SEUS PÉS. OS HOMENS DEPENDIAM DE VOCÊ PARA COMER, VESTIR, PRA TUDO!!! AGORA ELES ESTÃO AÍ, SÃO HOMENS TODOS CONFUSOS, QUE NÃO SABEM MAIS QUE PAPÉIS DESEMPENHAR NA SOCIEDADE, FUGINDO DE NÓS COMO O DIABO FOGE DA CRUZ... ESSA BRINCADEIRA DE VOCÊS ACABOU NOS ENCHENDO DE DEVERES, ISSO SIM. E NOS LANÇANDO NO CALABOUÇO DA SOLTEIRICE AGUDA. POR QUE ???.. ME DIGAM POR QUE UM SEXO QUE TINHA TUDO DO BOM E DO MELHOR, QUE SÓ PRECISAVA SER FRÁGIL,.../ OLHA O TAMANHO DO BÍCEPS DELES, E OLHA O TAMANHO DO NOSSO. TAVA NA CARA QUE ISSO NÃO IA DAR CERTO!!! E COMO SE NÃO BASTASSE, SER COBRADA (ATÉ POR MIM MESMA) DE ESTAR SEMPRE EM FORMA, DEPILADA, SORRIDENTE, CHEIROSA, COM AS UNHAS FEITAS, SEM FALAR NO CURRÍCULO IMPECÁVEL, RECHEADO DE MESTRADOS, DOUTORADOS, E ESPECIALIZAÇÕES (AFF!!!) VIRAMOS SUPER MULHERES! NÃO ERA MUITO MELHOR TER FICADO FAZENDO TRICÔ NA CADEIRA DE BALANÇO? CHEGAAAAAAA!!!... VOCÊS PENSAM QUE EU TÔ IRONIZANDO? TO FALANDO SÉRIO! ESTOU ABDICANDO DO MEU POSTO DE MULHER MODERNA.... TROCO PELO DE AMÉLIA. ALGUÉM SE HABILITA?

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

"O aborto não é, como dizem, simplesmente um assassinato. É um roubo... Nem pode haver roubo maior. Porque, ao malogrado nascituro, rouba-se-lhe este mundo, o céu, as estrelas, o universo, tudo. O aborto é o roubo infinito." Mario Quintana


Carta de um bebê.
Oi mamãe, tudo bem? Eu estou bem, graças a deus faz apenas alguns dias que você me concebeu em sua barriga!
Mas na verdade não posso explicar como estou feliz em saber que você será a minha mamãe. Outra coisa que me enche de orgulho é ver o amor com que foi concebido. Tudo parece indicar que serei a criança mais feliz do mundo! Mamãe, já se passou um mês que fui concebido, e já começo a ver como o meu corpinho começa a se formar, quer dizer, não estou tão lindo como você, mas me dê uma oportunidade!! Estou muito feliz!! Mas tem algo que me deixa preocupado… Ultimamente me dei conta que há algo na sua cabeça que não me deixa dormir, mas tudo bem, isso vai passar, não se desespere. Mamãe, já se passaram dois meses e meio, estou muito feliz com minhas mãos e tenho vontade de usá-las para brincar… Mãezinha me diga o que foi? Por que choras tanto? Por que quando você e o papai se encontram, gritam tanto um com o outro? Vocês não me querem mais ou o que? Vou fazer o possível para que me queiram. Já passaram três meses, mamãe, te noto muito deprimida, não entendo o que está acontecendo, estou muito confuso.Hoje de manhã fomos ao medico e ele marcou uma visita amanhã. Não entendo, eu me sinto muito bem, por acaso você se sente mal mamãe? Mamãe, já é dia, aonde vamos? O que está acontecendo mamãe??? Por que choras?? Não chore, não vai acontecer nada. Mamãe, não se deite, ainda são duas horas da tarde, não tenho sono, quero continuar brincando com minhas mãozinhas. Hei!!! O que esse tubinho está fazendo na minha casinha? Mamãe!! Espere, essa é a minha mãozinha!!! Porque o senhor arrancou?? Não vê que me machuca? Mamãe me defenda!!! Mamãe me ajude!! Não vê que ainda sou pequeno para me defender sozinho?? Mamãe a minha perninha estão arrancando. Diga para eles pararem, juro a você que vou me comportar bem e que não vou mais te chutar. Como é possível que um ser humano possa fazer isso comigo? Ele vai ver quando eu for grande. Ai… Mamãe, já não consigo mais… Mamãe me ajude. Mamãe, já se passaram 17 anos desde aquele dia, e eu daqui de cima observo como ainda te machuca ter tomado aquela decisão. Por favor, não chore, lembre-se que te amo muito e que estarei te esperando aqui em cima com muitos abraços e beijos no dia que você vier me encontrar. Te amo muito. Seu bebê. CONTRA O ABORTO.

Promessas demais o Santo desconfia



Resultados exigem esforço, paciência e constância.
Suspeite de promessas miraculosas e soluções instantâneas.
Duvide de receitas e fórmulas para a conquista da felicidade.
Fraqueza, fadiga e ferrugem custam a ceder
depois que se instalam no corpo,
na mente e no espírito.
Somente força, fôlego e flexibilidade
podem produzir mudança.
Otimismo só é útil onde existe ação planejada.
Pensamento positivo só funciona
acompanhado de muito trabalho.
Sem objetivos e prazos definidos,
esperança é pura ilusão.
Acredite em fatos, não em intenções.
Acredite em atitudes, não em discursos.
Acredite em posturas éticas,
não em regras de moral para "os outros" seguirem.
Acredite em fazer acontecer,
não em esperar que aconteça.
Acredite na força da criatividade,
não no tamanho dos obstáculos.
O que importa são as tentativas - e não os acertos.
As vezes que a gente se levanta contam muito mais
do que as que a gente cai.
O prazer de continuar buscando é infinitamente maior
do que o sucesso de alcançar.
Toda transformação começa sempre caótica
e desconfortável.
Os caminhos conhecidos são seguros e fáceis,
mas só conduzem aos lugares onde já estamos
- e não desejamos ficar.
O caminho do novo é cheio de riscos,
surpresas e cansaço;
mas sempre premia os que o escolhem com a chance de
um dia realmente experimentarem a vida
que imaginaram viver.

Geraldo Eustáquio de Souza

Você sabe por que nos decepcionamos com o Amado? Eu descobri...Parece que eles sempre pisam na bola ....



Por que nos encantamos sentimentalmente com uma pessoa? Ainda não podemos responder integralmente a esta pergunta fundamental. Fomos capazes de avançar muito a esse respeito nos últimos anos, de modo que algumas conclusões parciais podem ser muito úteis para que cometamos menos erros.

Nós nos envolvemos com outra pessoa porque nos sentimos incompletos em nós mesmos. Se nos sentíssemos inteiros e não metades, certamente não amaríamos. Sim, porque o amor corresponde ao sentimento que desenvolvemos em relação àquele que nos provoca a sensação do aconchego e completude que não conseguimos sentir quando estamos sozinhos. A escolha do parceiro, daquele que irá nos fazer sentir menos desamparado, é repleta de variáveis intrigantes que vão desde o desejo de também nos sentirmos protegidos até aquelas em que precisamos nos sentir úteis e até mesmo explorados.

Neste momento, estou querendo me ater um pouco ao processo do enamoramento, no encantamento inicial que faz com que uma pessoa neutra se transforme em indispensável, sem a qual não podemos imaginar seguir vivendo. O processo, que não raramente se dá em poucos instantes, depende de elementos nem sempre detectáveis. É claro que a aparência física das pessoas envolvidas desempenha um papel muito importante no fenômeno do enamoramento. Esse aspecto inicial do encontro amoroso não deve ser confundido com o amor propriamente dito. O amor é paz e aconchego ao lado de uma pessoa, ao passo que o enamoramento corresponde ao processo pelo qual esta pessoa é escolhida - e que, como regra, corresponde a um período nada sereno; o amor é uma emoção ansiada, mas nos chega acompanhado de muitos medos.

No que diz respeito à aparência física, é claro que o elemento erótico se destaca, especialmente nos homens que têm um desejo visual marcante. Acontece que, por caminhos diversos, muitos são aqueles que guardaram em suas memórias registros de figuras que muito os impressionaram e que se transformaram em modelos ideais com os quais cada nova pessoa conhecida é confrontada. Por vezes é algo geral, incluindo a forma do corpo; outras vezes é a cor dos olhos, dos cabelos, o tipo de seio, os quadris. Algo que pode lembrar, desde suas mães até alguma estrela de cinema que muito lhes tenha impressionado. A verdade é que, por outras vias, as moças também guardam dentro de si indicadores do que elas acham que seja o homem ideal para elas: podem ser esbeltos ou musculosos, intelectualizados ou executivos, voltados para as artes ou poderosos, e assim por diante. Todos esses ingredientes incluem elementos eróticos, mas todos eles se transformam, em nossa imaginação, em símbolos dos nossos parceiros ideais. De repente, julgamos ter encontrado um número importante de tais símbolos naquela pessoa que nos passou pela vida. E nos enamoramos.

Assim sendo, o fenômeno do enamoramento se fundamenta em aspectos relacionados com a aparência do outro. É claro que costuma ter relação com o que a pessoa é por dentro. Mas a correlação não é absoluta e nem assim completa. Conversamos com a pessoa que nos atraiu e, em virtude da atração inicial que sentimos e do nosso desejo enorme de amar, tendemos a ver no seu interior as afinidades e peculiaridades que sempre quisemos que existissem naquele que nos arrebataria o coração.
Por exemplo: um rapaz mais franzino, mais intelectualizado e voltado para as artes é visto, mais ou menos rapidamente, como emotivo, romântico, delicado e sensível, pouco agressivo, que respeita os direitos da mulher e não é exageradamente ciumento. Uma moça se encanta com ele e espera que ele seja portador de todas essas peculiaridades. Essa expectativa se transforma, mais ou menos rapidamente, em certeza de que elas existem. A moça projeta seus sonhos de perfeição naquele rapaz que tanto a encantou e passa a ter certeza de que as propriedades desejadas estão lá. O fenômeno é o da idealização, pelo qual acreditamos que o outro contenha todas as peculiaridades que dele esperamos.

Sonhamos com o príncipe encantado – ou com uma princesa ideal – e, ao nos enamorarmos, projetamos todos os nossos desejos sobre aquela pessoa. Passamos a conviver com ela e a esperar dela as reações próprias do ser que idealizamos. O que acontece? É a pessoa real a que irá agir, reagir e se comportar de acordo com suas efetivas peculiaridades. Não poderemos deixar de nos decepcionar, não obrigatoriamente por causa das peculiaridades efetivas do amado, mas porque despejamos sobre ele todos os nossos sonhos e exigências de perfeição. O erro nem sempre está na pessoa e sim no fato de termos sonhado com ela mais do que prestado atenção nela, no que ela efetivamente é. Eis aí um bom exemplo dos perigos derivados da sofisticação da nossa mente, capaz de imaginar de uma forma livre e tão grandiosa que a realidade jamais irá alcançar.


:: Flávio Gikovate ::

Palavras são apenas resumos dos nossos sentimentos profundos, sentimentos que para serem explanados precisam mais do que um sujeito, um verbo e um predicado.Precisam de toque, visão, audição.

Fui absolutamente rendida pelo poder das relações virtuais.
Acredito que é possível conhecer alguém por e-mail, se apaixonar por e-mail, odiar por e-mail, tudo isso sem jamais ter visto a pessoa.
As palavras escritas no computador podem muito.
Mas nem sempre enxergam a verdade.
São dez horas de uma noite chuvosa.
Você ja não dormiu bem à noite passada.
Põe pra tocar um som instrumental que deixa suas emoções à flor da pele.
Vai para o computador e começa a escrever para alguém especial as coisas mais íntimas que lhe passam no coração.
Chora. Escreve.
Escuta a chuva.
Escreve mais um pouco.
Envia.
São onze horas desta mesma noite.
O destinatário da sua mensagem está dormindo ou em alguma festinha com amigos. .
Ele chega pega uma cerveja e dá uma escapada até o computador.
Abre o correio.
Está lá a mensagem.
Um texto longo que ele lê com pressa.
Destaca algumas palavras:
"a saudade é tanta... sozinha demais... dividir o que sinto..."
Papo brabo.
Responderá amanhã.
Deleta.
Alguém pode escrever com raiva, escrever com dor, escrever com ironia, escrever com dificuldade, escrever debochando, escrever apressado, escrever na obrigação, escrever com segundas intenções.
Nada disso chegará no outro lado da tela:
a pressa, a hesitação, a tristeza.
As palavras chegarão desacompanhadas.
Será preciso confiar no talento do remetente em passar emoção junto de cada frase.
Como pouquíssimas pessoas têm esse dom, uma mensagem sensível poderá ser confundida com secura, tudo porque faltou um par de olhos, faltou um tom de voz.
Se você passou a desprezar alguém, pode escrever "não quero mais te ver".
Se você ama muito alguém, mas a falta de sintonia lhe vem machucando, pode escrever "não quero mais te ver".
Uma mesma frase e duas mensagens diferentes.
Palavras são apenas resumos dos nossos sentimentos profundos, sentimentos que para serem explanados precisam mais do que um sujeito, um verbo e um predicado.
Precisam de toque, visão, audição.
Amor virtual é legal, mas o teclado ainda não dá conta de certas sutilezas e emoções.
Martha Medeiros

SENTIMENTOS: Amor novo é diferente explode os dias, aquece a carne. Tem adrenalina. Provoca. Amor do passado tem sabor de nostalgia. Escreveu história. Ilustrou a vida. Inspira e faz delirar a mente


Tem sentimentos que não dão para serem esquecidos. Coisas que ficam na memória afetiva, que dilatam o coração e fazem com que pulse forte. O corpo revira na cama pedindo ajuda, os olhos de lágrimas escorrem sua dor. Um amor do passado que gravou sua história para sempre. Surtiu o efeito devastador na vida, pois parecia ser maior que tudo. Mesmo cambaleando, ele sempre retornava ao seu lugar. Amor tatuado. Lacrado. E, mesmo assim, escapou.
Há quem jure não mais pensar em um amor que se foi. Pode até ser, mas então não foi amor. Quem amou se doou, sentiu arrepios na alma de saudade. Amor do passado deixa registro no coração. É lá que se guardam os melhores sentimentos. Não falo aqui de coração ferido, magoado, cheinho de mágoas. Mas do que foi acariciado por outro repleto das delícias do afeto verdadeiro. Saudade de alguém dizendo "te amo", " mulher de minha vida", "linda" e outros mimos gostosos de escutar. Isso é coisa que não se esquece. Passam-se os anos e martelam as lembranças.
Amor novo é diferente: explode os dias, aquece a carne. Tem adrenalina. Provoca. Amor do passado tem sabor de nostalgia. Escreveu história. Ilustrou a vida. Inspira e faz delirar a mente. Só de lembrar aquele beijo gostoso o corpo se contrai todo. A cama quentinha treme, de tanto que se fez amor. Sentimento forte assim é para sempre. Registra a alma e deixa o perfume sem igual no espírito.
Quem ama de verdade não esquece jamais algo assim - risadas soltas, liberdade no abraço. Superações constantes. Idas e voltas. Lágrimas de tristeza ou de alegria. No duelo do amor estão envolvidas grandes emoções. Paixões. Perdão. Até o abraço da reconciliação. Um amor do passado é história de vida... sai por aí mostrando a beleza em ter sido realidade. É a vontade danada de contar detalhes, dizer o quanto se foi feliz.
Mas quando ficou mal resolvido, é mais triste do que muita coisa na vida. O corpo perde as forças. A motivação desfalece. A esperança reprime. Conheci duas pessoas que se amaram demais e preferiram se separar. Não tiveram forças em superar os medos. Era uma angústia danada dia e noite. Viviam transtornados sonhando um com o outro. Suas vidas ficaram vazias. Lembranças sobre lembranças tentavam sobreviver a cada manhã. Passaram-se anos.
Certa vez, foram a uma mesma festa. A noite estava linda, os jardins pareciam ornados de rara beleza. O céu vaidoso se encheu de estrelas. Os dois tinham ido sozinhos, por incrível que pareça, ainda não tinham parceiros.
Como se os tempos deles tivessem marcado um encontro, se dirigiram à beira do lago. Cada um na ponta do espelho de água de longe se avistaram. Não fazia frio, mas congelaram. Plantados nos chão, não conseguiam sair do lugar. Choraram. Seus corações explodiram. O passado revisitou suas peles e arrepiou a carne. Os beijos que foram trocados naquela época tão boa revigoraram e saíram dos baús empoeirados. O tremor invadiu suas mentes. Podiam sentir o toque leve e firme do outro.
Sentimentos explosivos se deram, mas era tarde demais. Um amor do passado tão profundo que não foi cuidado. Que sequer teve a oportunidade de se refazer. Lutar. Superar. A sensação do encontro foi forte demais e devagar se afastaram do tal lago. O medo de remexer no amor antigo, de sofrer a rejeição, provocou estranheza e profunda tristeza. Dali mesmo foram para casa sonhar com o que viveram. Mais uma vez disseram não para um sentimento ainda vivo dentro de suas almas. Mais uma oportunidade se foi.
É imperdoável que pessoas que se amem tanto digam não à felicidade. Que os seus rostos se virem contra as verdades das emoções plantadas em seus seres. Preferir partir com o vazio imenso preso nas costas. A bagagem pesada da desilusão.
Um amor do passado poderia ser recuperado se duas pessoas quisessem se redimir. Resolver as pendências, pelo menos se entenderem e, aí sim, darem um basta a tantas dúvidas. Mas a opção pela complexidade é cruel - característica das escolhas do ser humano. O amor é simples, só quer florescer.
Se você é uma dessas pessoas que prefere não resolver um amor, cuidado! O que fica vivo no coração ninguém consegue mandar. Mas se prefere a dúvida, o que fazer? Tomara que anos depois, quando se encontrarem à beira de um lago, consigam ver rostos de verdade refletidos... e não faces tristes repletas de solidão.
O coração é o lugar mais íntimo do ser. Nele se guardam os mistérios da vida. Cuide dele! Acenda uma luz e veja se ali está algo que precisa ser resolvido. Pendências fazem sofrer e, de sã consciência, quem quer continuar na dor?




(Beth Valentim) é psicanalista e escritora. Possui mestrado em Psicologia Social e é autora dos livros "Essa Tal Felicidade", da editora Elevação e "Mequiel - O Caçador de Sonhos", da editora Dunya

Não posso adiar para outro século a minha vida



Não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas

Não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes
amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração

António Ramos Rosa, in "Viagem Através de uma Nebulosa"

Para Quantas Pessoas Você Faz a Diferença?



Assim como há uma grande verdade em afirmar
que "nada acontece por acaso",
é correto afirmar também que as pessoas
entram em sua vida com alguma missão.
Aliás, tem gente que deixa você feliz
pelo simples fato de existir, sabia?
Você tem alguém assim?
Quantos amigos verdadeiros você tem?
Mas a reflexão de hoje é essa:
de quantas pessoas você é verdadeiramente amigo?
Pra valer.
Para quantas pessoas você faz a diferença na vida delas?
Responde!
Estou falando dos vínculos, viu?
E aqui vai logo um segredo:
você precisa ter no mínimo 8 pessoas
que possa considerar vínculo forte e verdadeiro.
Pessoas importantes pra você.
Pessoas que merecem ser lembradas para sempre.
Será que você vai deixar a sua marca para alguém?
Só com o passar dos anos é que se percebe
como é importante ter amigos.
Como é importante ser amigo!
Pois faça acontecer mais vínculos fortes em sua vida.
Os vínculos podem estar acontecendo em sua vida
através dos sentimentos de amor,
de vergonha, orgulho, culpa, medo ou raiva.
Pense nisso e perceba o que está falando mais alto em sua vida
e prefira ficar com o sentimento de amor, tá?
Seja forte e corajoso.
Sempre!
Tem alguma coisa de Deus que
só pode ser expressa por uma pessoa, viu?
Pense na possibilidade de que talvez você tenha algo
que é tão de Deus que somente você
possa mostrar ao mundo.
Luis Carlos Mazzini

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta:‘Experiência? Quem a tem, se a todo momento tudo se renova? ‘



"Eu já dei risada até a barriga doer, já nadei até perder o fôlego, já chorei até dormir e acordei com o rosto desfigurado.
Já fiz cosquinhas na minha irmã só pra ela parar de chorar, já me queimei brincando com vela.
Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto, já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxa.

Já quis ser astronauta, violonista, mágica, caçadora e trapezista.
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora, já passei trote por telefone, já tomei banho de chuva, e acabei me viciando.
Já roubei beijo, já fiz confissões antes de dormir num quarto escuro pra minha melhor amiga.

Já confundi sentimentos, peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.
Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro, já me cortei depilando a virilha, já chorei ouvindo música no ônibus.
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer.

Já subi escondida no telhado pra tentar pegar estrelas, já subi em árvore pra roubar fruta, já caí da escada de bunda.
Conheci a morte de perto, e agora anseio por viver cada dia.
Já fiz juras eternas, já escrevi no muro da escola, já chorei sentada no chão do banheiro, já fugi de casa pra sempre, e voltei no dia seguinte.

Já saí pra caminhar sem rumo, sem nada na cabeça, ouvindo estrelas.
Já corri pra não deixar alguém chorando, já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.
Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado, já me joguei na piscina sem vontade de voltar, já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios, já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.

Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso, já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.
Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.
Já apostei em correr descalço na rua, já gritei de felicidade, já roubei rosas num enorme jardim. Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um "para sempre" pela metade.

Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol, já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.
Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção, guardados num baú, chamado coração.
E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita:

- Qual sua experiência?
Essa pergunta ecoa no meu cérebro:
- experiência...experiência...
Será que ser "plantador de sorrisos" é uma boa experiência?

Não!!! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!"

Desconheço a autoria

- Agora, explica pro GORILA..



Um casal está no zoológico e passa pela jaula do gorila macho.

- Maria diz a Marcos - sabia que o homem é o animal mais parecido com os gorilas em relação ao seu comportamento?

Provarei que estou certa, vou mostrar os seios e ele vai ficar excitado como um homem, voce vai ver!!!

Maria mostra o seio e o gorila começa a ficar excitado e a mover as barras da jaula.
- Viu? - diz a mulher - os homens são iguaizinhos a eles, não conseguem controlar os seus instintos animais.

Então Marcos diz-lhe:
- Agora lhe mostra os dois seios, para ver o que acontece.

A mulher levanta a blusa e mostra-lhe os dois seios, e o gorila fica ainda mais excitado e desesperado por sair.

Por fim Marcos diz:
- Incrível, agora desce as calças e fica nuazinha, só para ver o que acontece!

A mulher abaixa a calça, e o gorila, completamente excitado, arrebenta as barras da jaula, sai e agarra a mulher.

- Grita a mulher - Marcos me ajuda!

E Marcos fala:

- Agora, explica pra ele:

Que hoje não está com vontade...
Que está com dor de cabeça...
Que está cansada...
Que está com dor de garganta...
Que trabalhou demais...
Que tão depressa nãooooo...
Que te entenda como mulher...
Que está deprimida...
Que está menstruada...
Que está enjoada...
Que só quer que te abrace...
Que está nervosa...
Que tem que acordar muito cedo...
Que hoje acordou muito cedo...
Que andou muito hoje..
Que está super carente e só quer carinho...
Que está muito tensa e só quer massagens de relaxamento...
Que não quer perder a novela..

Que está com sono...

Que não é certo fazer isto...

- Fica tranquila Maria...Se ele é parecido comigo... vai te entender!!!

.

Quando Deus te desenhou Ele tava namorando!!!

Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Na beira do mar
Na beira do mar do amor
Na beira do mar
Na beira do mar do amor
Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Na beira do mar
Na beira do mar do amor
Na beira do mar
Na beira do mar do amor
Papai do céu na hora de fazer você
Ele deve ter caprichado pra valer
Botou muita pureza no seu coração
e a sua humildade fez chamar minha atenção
tirou a sua voz do própolis do mel
e o teu sorriso lindo de algum lugar do céu
e o resto deve ser beleza exterior
mas o que tem por dentro para mim tem mais valor
Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Na beira do mar
Na beira do mar do amor
Na beira do mar
Na beira do mar do amor
Papai do céu na hora de fazer você
Ele deve ter caprichado pra valer
Botou muita pureza no seu coração
e a sua humildade fez chamar minha atenção
Da estrela mais bonita o brilho desse olhar
Diamante verdadeiro sua palavra foi buscar
e o resto deve ser beleza exterior
mas o que tem por dentro para mim tem mais valor
Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Quando Deus te desenhou ele tava namorando
Na beira do mar
Na beira do mar do amor
Na beira do mar
Na beira do mar do amor

Curso Avançado de beijo...VAMOS FAZER ?



Mexa com força
Uma pequena dose de dor pode transformar um amasso comum e levar vocês às alturas. “As endorfinas responsáveis pela sensação de bem-estar são liberadas pelo corpo durante o beijo e quando você está excitada se tornam um analgésico natural’, diz Sadie Allison, autora de Ride ‘Em Cowgirl: Sex Position Secrets for Better Bucking (inédito no Brasil). “E mais: quando você toca uma parte do corpo com firmeza, faz com que mais sangue vá para essas áreas, acentuando a resposta dos receptores da pele.” Lace suas mãos pela parte de trás do pescoço dele e gentilmente puxe-o na sua direção, mantendo contato visual. Depois, quando seus lábios se encontrarem, fique um pouco agressiva, deixando a paixão crescer de forma natural. “A ideia é usar força sutil: empurre de leve o lábio superior dele com seus dentes, raspe suas unhas na lateral do pescoço e nas costas dele e puxe o cabelo dele depois de esquentá-lo com beijos suaves e sensuais”, indica Sadie.

Quase lá
Para o tipo mais erótico de beijo (que, aliás, tem o nome menos erótico), experimente o “sexo facial”, sugere Ava. Esse tipo de carinho imita uma transa das preliminares à penetração, começando com uma exploração da sua língua dentro da boca do seu parceiro. “Friccionem as línguas em círculos pequenos e grandes e depois as lancem para dentro e para fora das bocas, como se estivessem transando.” Vocês também podem se revezar para envolver os lábios em volta da língua um do outro e, sugando apaixonadamente, alternar entre movimentos lentos e rápidos, como sexo oral.”


Variacão é tudo de bom
Tasque um beijo em um destes pontos quentes também

Barriga Dê beijinhos abaixo do umbigo dele, chegando perto dos genitais, mas sem colocar a boca na botija. Essa provocação enviará uma mensagem ao cérebro de seu parceiro para que ele se prepare para o sexo. Mas, ao perceber que você parou, a antecipação e o fator prazer aumentam.

Orelha A pele ali atrás é uma zona supersensível. Comece lambendo essa parte e depois até a parte curva do lóbulo. “E, já que você está tão perto, sussurre algo suave ou picante no ouvido dele”, sugere William Cane. Perceba se ele gosta antes de enfiar a sua língua molhada dentro da orelha — algumas pessoas odeiam.

Pescoço Dê uma de vampira. Como essa é uma das partes mais vulneráveis do corpo, beijá-la suavemente e lambê-la será como uma tortura erótica. “Explore com diferentes intensidades. As sensações podem ser incríveis”, sugere Ian Kerner, autor de Sex Recharge (inédito no Brasil).

Mãos Seus dedos estão cheios de terminações nervosas; coloque-os em ação! “Devagar, indo da ponta até a base, escorreguem-os pela boca um do outro”, diz Ava Cadell. Quando você já tiver passado pelos dedos dele, mude para o punho e cubra a área com beijos suaves para produzir tremores deliciosos.

Fonte: Nutrition & Metabolism

Você acredita que a carne é fraca, e que o Homem não possa suportar?



" A carne é fraca, mas o pecado não é vitamina."

Dalila Maitê

Concordo que a chegada de uma criança muda muita coisa entre o casal... Mas pode o nascimento de um filho destruir as relações amorosas?



As verdadeiras mulheres felizes -Acabo de ler um livro de Eliette Abecassis, uma francesa que eu não conhecia. O nome da obra, no original, é Un Heureux Événement, que pode ser traduzido para Um Feliz Acontecimento, mas é um título irônico, pois o livro trata sobre o fator que, segundo a autora, destrói as relações amorosas: o nascimento de um filho. Num tom exageradamente desesperado, a personagem narra o fim do seu casamento depois que dá à luz. Concordo que a chegada de uma criança muda muita coisa entre o casal, mas a escritora carrega nas tintas e cria um quadro de terror para as mães de primeira viagem. Se o nascimento de um filho é sempre desconcertante, é preciso lembrar que é, ao mesmo tempo, uma emoção sem tamanho. De minha parte, só tenho bons momentos a recordar, nada foi dramático. Mas mesmo que, por experiência própria, eu não compartilhe com a desolação da autora, ainda assim ela diz no livro uma frase muito interessante. Ao enumerar as diversas mazelas por que passam as criaturas do sexo feminino, ela me veio com esta: "os homens são as verdadeiras mulheres felizes".

Atente para a sutileza da frase. O que ela quis dizer? Que os homens saem pela porta de manhã e vão trabalhar sem pensar se os filhos estão bem agasalhados ou se fizeram o dever da escola. Os homens não menstruam, não têm celulite, não passam por alterações hormonais que detonam o humor. Os homens não se preocupam tanto com o cabelo e não morrem de culpa quando não telefonam para suas mães. Os homens comem qualquer coisa na rua e o cardápio do jantar não é da sua conta, a não ser quando decidem cozinhar eles próprios, e isso é sempre um momento de lazer, nunca um dever. Os homens não encasquetam tanto, são mais práticos. Eu, que estou longe de ser uma feminista e mais longe ainda de ser ranzinza, tenho que reconhecer o brilhantismo da frase: os homens são mulheres felizes. Eles fazem tudo o que a gente gostaria de fazer: não se preocupam em demasia com nada.
Porque nosso mal é este: pensar demais. Nós, as reconhecidas como sensíveis e afetivas, somos, na verdade, máquinas cerebrais. Alucinadamente cerebrais. Capazes de surtar com qualquer coisa, desde as mínimas até as muito mínimas. Somos mulheres que nunca estão à toa na vida, vendo a banda passar, e sim atoladas em indagações, tentando solucionar questões intrincadas, de olho sempre na hora seguinte, no dia seguinte, planejando, estruturando, tentando se desfazer dos problemas, sempre na ativa, sempre atentas, sempre alertas, escoteiras 24 horas.

Os homens, mesmo quando muito ocupados, são mais relax. Focam no que têm que fazer e deixam o resto pra depois, quando chegar a hora, se chegar. Não tentam salvar o mundo de uma tacada só. E a chegada de um filho, ainda que assuste a eles, como assusta a todos, é algo para se lidar com calma, é um aprendizado, uma curtição, nada de muito caótico. Eles não precisam dar de mamar de duas em duas horas, não ficam fora de forma, não enlouquecem. Isso é uma dádiva: os homens raramente enlouquecem.

Nós, nem preciso dizer. Nascemos doidas. Por isso somos tão interessantes, é verdade, mas felicíssimas, só de vez em quando, nas horas em que não nos exigimos desumanamente. Homens, portanto, são realmente as verdadeiras mulheres felizes. Que isso sirva de homenagem aos queridos, e sirva pra rir um pouco de nós mesmas, as que se agarram com unhas e dentes ao papel de vítimas porque ainda não aprenderam a ser desencanadas como eles.

Martha Medeiros

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Espera: algo vai se revelar e deves estar pronto


Olhas o amanhecer,
vives o amanhecer como o único instante
em que o céu é entreaberto segredo de um deus mudo.
Espera: algo vai se revelar e deves estar pronto
para mergulhar teu sonho num poço de luz casta.
O intocado te espera. E amanhece. E te iluminas
como se trincasses com os dentes a polpa do absoluto.
Alphonsus de Guimarães Filho

Sem tomar direção, sem saber do caminho .Fiz o caminho.

Fiz o caminho.
Sem tomar direção, sem saber do caminho.
Pé por pé, pé por si. Deixei que o caminho me escolha.
Na travessia, só silêncio. O nenhuns nada.
O alegre, mesmo, era a gente viver devagarinho, miudinho,
não se importando demais com coisa nenhuma.
Nessa estrada, salvou-me a palavra.
João Guimarães Rosa

Aqui entre nós melhor que ser boazinha é não poder ser imitada



A todos trato muito bem
sou cordial, educada, quase sensata,
mas nada me dá mais prazer
do que ser persona non grata
expulsa do paraiso
uma mulher sem juízo, que não se comove
com nada
cruel e refinada
que não merece ir pro céu, uma vilã de novela
mas bela, e até mesmo culta
estranha, com tantos amigos
e amada, bem vestida e respeitada
aqui entre nós
melhor que ser boazinha é não poder ser imitada.

Martha Medeiros

Olha! voce tem todas as coisas que um dia eu sonhei pra mim..!!?



Olha você tem todas as coisas
Que um dia eu sonhei prá mim
A cabeça cheia de problemas
Não me importo, eu gosto mesmo assim
Tem os olhos cheios de esperança
De uma cor que mais ninguém possui
Me traz meu passado e as lembranças
Coisas que eu quis ser e não fui
Olha você vive tão distante
Muito além do que eu posso ter
E eu que sempre fui tão inconstante
Te juro, meu amor, agora é prá valer
Olha, vem comigo aonde eu for
Seja minha amante, meu amor
Vem seguir comigo o meu caminho
E viver a vida só de amor

Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos

Ausência ....é isto!!!



Eu deixarei que morra em mim o desejo
de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa
de me veres eternamente exausto
No entanto a tua presença é qualquer coisa
como a luz e a vida

E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto
e em minha voz a tua voz
Não te quero ter porque
em meu ser está tudo terminado.
Quero só que surjas em mim
como a fé nos desesperados

Para que eu possa levar uma gota de orvalho
nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne
como uma nódoa do passado.
Eu deixarei ... tu irás e encostarás
a tua face em outra face

Teus dedos enlaçarão outros dedos
e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu,
porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei a minha face
na face da noite e ouvi a tua fala amorosa

Porque meus dedos enlaçaram os dedos
da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência
do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só
como os veleiros nos portos silenciosos

Mas eu te possuirei mais que ninguém
porque poderei partir
E todas as lamentações do mar,
do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente,
a tua voz serenizada.

Vinícius de Moraes

Por entre os dedos, por medo, escaparam-me sonhos e oportunidades...

Quando penso que,


Por medo,

Escaparam-me

Por entre os dedos,

Sonhos e oportunidades...

Que, por ter dormido todo o outono,

No inverno perdi o sono...

E deixei fugir a felicidade!

Que, por paixão,

Queimei, ardi, enlouqueci...

E por um falso desejo,

Errei, temi, trai, feri...

Que por me faltar coragem,

Meu coração, hoje, diz:- Você teve medo de ser feliz.

Porém, no entanto, entretanto...

Meu Deus! E... portanto.

Felizmente,Há perdão – para os erros.

E silêncio – para os berros.

Para o tudo que nada foi – ainda há tanto.

Para este amor impossível – ainda há tempo!

Ah, essa tal felicidade!



Marcos Aurélio Mendes

Se você não demorar muito posso esperá-lo por toda a minha vida.(Oscar Wilde)

Estou diariamente à tua espera.
Como quem espera um astro pela noite.
Defino-te em segredos.
Revejo-te na memória.
Desenho a tua fronte nas estrelas.
Invejo-te.
Construo a tua boca sem palavras.
Construo este silêncio em que me prendo.

(João Rui de Sousa, Circulação)

Aprende com o silêncio ...a aceitar alguns fatos que você provocou...



Aprende com o silêncio a ouvir os sons interiores da sua alma, a calar-se nas discussões e assim evitar tragédias e desafetos, aprende com o silêncio a respeitar a opinião dos outros, por mais contrária que seja da sua, aprende com o silêncio a aceitar alguns fatos que você provocou, a ser humilde deixando o orgulho gritar lá fora, aprende com o silêncio a reparar nas coisas mais simples, valorizar o que é belo, ouvir o que faz algum sentido, evitar reclamações vazias e sem sentido, aprende com o silêncio que a solidão não é o pior castigo, existem companhias bem piores…. Aprende com o silêncio que a vida é boa, que nós só precisamos olhar para o lado certo, ouvir a música certa, ler o livro certo, que pode ser qualquer livro, desde que você o leia até o fim. Aprende com o silêncio que tudo tem um ciclo, como as marés que insistem em ir e voltar, os pássaros que migram e voltam ao mesmo lugar, como a Terra que faz a volta completa sobre o seu próprio eixo, complete a sua tarefa. Aprende com o silêncio a respeitar a sua vida, valorizar o seu dia, enxergar em você as qualidades que você possui, equilibrar os defeitos que você tem e sabe que precisa corrigir e enxergar aqueles que você ainda não descobriu . Aprende com o silêncio a relaxar, mesmo no pior trânsito, na maior das cobranças, na briga mais acalorada, na discussão entre familiares, aprende com o silêncio a respeitar o seu “eu”, a valorizar o ser humano que você é, a respeitar o Templo que é o seu corpo, e o santuário que é a sua vida. Aprende hoje com o silêncio, que gritar não traz respeito, que ouvir ainda é melhor que muito falar, e em respeito a você, eu me calo, me silencio, para que você possa ouvir o seu interior que quer lhe falar, desejar-lhe um dia vitorioso e confirmar que você é especial.

Paulo Roberto Gaefke

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Mudanças? Fazem parte da vida...



Parar de fumar, fazer ginástica, emagrecer.Trabalhar menos, não trabalhar, arranjar um trabalho.Estudar inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, japonês.Comer melhor.Aprender a dizer sim, aprender a dizer NÃO.Guardar dinheiro, ir ao dentista, terminar o tratamento.Cortar doces, massas e frituras.Viajar mais., amar, se apaixonar, se desapaixonar. Morar sozinho, morar com alguém, deixar de morar com alguém.Trocar de carro, comprar um apartamento, uma bicicleta. Andar mais a pé. Sair para dançar, sair com os amigos, ficar mais em casa. Fazer um check-up, arrumar o armário, ir ao cinema.Casar, casar de novo, casar mais uma vez (não que eu recomende!). Ter um filho. Mudar de emprego, mudar de escola, mudar de vida...
Não importa o que você queira mudar, mude; mudar é bom, mudar faz parte da vida.
Texto de Kathlen Heloise Pfiffer...

Meu homem, meu amigo...Meu Amor.....invade o meu ser...



Uma vida é pouco para viver esse amor...
Que invade o meu ser...
Que me faz enlouquecer
Me faz sentir impotente....
De pés e mãos atada nessa viagem relâmpago de nossa existência.

Uma vida é pouco para poder dar a ti todo amor que sinto
Esse sentimento que me invade a alma
Me deixando como criança indefesa nas tuas mãos
Entregando a tua mercê o meu coração.

Foge, te afoga em trabalhos que de ti nada têem
Da a outra o amor que a mim pertence
Tentando assim esquecer e preencher o vazio
Que a distancia plantou em teu coração.

Vêm agora ficar comigo
Fecha os teus olhos e imagina ao teu lado a tua amada
Que deste outro lado da vida(a tua vida)...
A verdadeira....A que te sentes vivo e amado...
Essa que aqui escreve para ti poemas de amor te espera...
Além do jardim florido
Jardim oculto, secreto em teus devaneios
Te espera de braços abertos
Respira fundo....
Te arma com as armas que o amor te cede nesta hora...
Pois tu sabes o amor que a ti dedico
Meu homem, meu amigo...

Meu Amor.....


Autor:Desconhecido.

Por você... às vezes acho que estou enlouquecendo



É, às vezes acho que estou enlouquecendo
Por você, fujo viajo no tempo me submetendo
E pra você, meu mundo gira em preto e branco e Colorido
E sem você, saio do presente, pro passado e no futuro
Eu tô perdido

Por você eu mudo o jeito de viver
Vou ouvir vinil em vez de ouvir CD
Por você eu deixo a badalação
Faço serenata voz e violão

Largo essa cidade pra morar no campo
Faço penitencia troco até de santo
Por você cancelo a reunião
O meu compromisso é com seu coração

Mas espera que eu tô chegando, tô levando
Rosas, versos e vinhos
Me espera que tô chegando, tô voltando
Seja no tempo que for eu só quero esse amor

É , agora separar a gente o tempo é incapaz
Por você ,
Por você eu mudo o jeito de viver
Vou ouvir vinil em vez de ouvir CD
Por você eu deixo a badalação
Faço serenata voz e violão

Largo essa cidade pra morar no campo
Faço penitencia troco até de santo
Por você cancelo a reunião
O meu compromisso é com seu coração

Mas me espera que eu tô chegando, tô levando
Rosas, versos e vinhos
Me espera que tô chegando, tô voltando
Seja no tempo que for eu só quero esse amor

Por você eu mudo o jeito de viver
Vou ouvir vinil em vez de ouvir CD
Por você eu deixo a badalação
Faço serenata voz e violão

Largo essa cidade pra morar no campo
Faço penitencia troco até de santo
Por você cancelo a reunião
O meu compromisso é com seu coração

Mas me espera que eu tô chegando, tô levando
Rosas, versos e vinhos
Me espera que tô chegando, tô voltando
Seja no tempo que for eu só quero esse amor

É, eu acho que estou enlouquecendo, por você.

Anônimo

Eu, uma menina assim...eu contente, eu diferente, eu triste, mas sempre sorridente...



Eu contente, eu diferente, eu triste, mas sempre sorridente...
Eu, uma menina assim...
Gosto de abraçar apertado, sentir alegria inteira, inventar mundos, inventar amores. Acho graça onde não há sentido. Acho lindo o que não é. O simples me faz rir, o complicado me aborrece. O mundo pra mim é grande, não entendo como moro em um planeta que gira sem parar. Verdade seja dita: entender, eu entendo. Mas não faz diferença, o mundo continua rodando, existe a tal gravidade, pelo menos para mim.
O que importa é o que faz os meus olhos brilharem, o coração bater forte, o sorriso saltar da cara. Eu acho que as pessoas são sempre grandes e às vezes pequenas, igual brinquedo Playmobil. Enxergo o mundo sempre lindo e às vezes cinza, mas para isso existem o lápis-de-cor e o amor que a gente aprendeu em casa desde cedo.
Tenho um coração maior do que eu, nunca sei minha altura, tenho o tamanho de um sonho. E o sonho escreve a minha vida que às vezes eu risco, rabisco, embolo e jogo debaixo da cama (pra descansar a alma e dormir sossegada).
Coragem eu tenho um monte. Mas medo eu tenho poucos. Tenho medo de filme de terror, tenho medo das pessoas, tenho medo de mim mesma. Minha bagunça mora aqui dentro, pensamentos entram e saem, nunca sei aonde fui parar. Mas uma coisa eu digo: eu não páro. Perco o rumo, ralo o joelho, bato de frente com a cara na porta: sei aonde quero chegar, mesmo sem saber como. E vou.
Sempre me pergunto quanto falta, se está perto, com que letra começa, se vai ter fim, se vai dar certo. Sempre pergunto se você está feliz, se eu estou linda, se eu vou ganhar estrelinha, se eu posso levar pra casa, se eu posso te levar pra mim, se o café ficou forte demais. Eu sou assim. Nada de meias-palavras. Já mudei, já aprendi, já fiquei de castigo, já levei ocorrência, já preguei chiclete debaixo da carteira da sala de aula, mas palavra é igual oração: tem que ser inteira senão perde a força.
Sou menina levada, princesa de rua, sou criança crescida com contas para pagar. E mesmo pequena, não deixo de crescer. Trabalho igual gente grande, fico séria, traço metas. Mas quando chega a hora do recreio, aí vou eu... Beijo escondido, faço bico, faço manha, tomo sorvete no pote, choro quando dói, choro quando não dói. E eu amo. Amo igual uma criança. Amo com os olhos vidrados, amo com todas as letras. A-M-O. Amo e invento. Sem restrições. Sem medo. Sem frases cortadas. Sem censura. Sem pudor. Quer me entender? Não precisa. Quer me amar? Me dê um chocolate, um bilhete, um brinde que você ganhou e não gostou, uma mentira saudável, mas bonita pra me fazer sonhar.
Não importa. O que importa é o lugar, o momento e com quem eu me sinta especial. Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada, um beijo, um abraço, amar e viver !!!

Meus desejos são ordens para mim !!! Por isso vou ser FELIZ .......

Desconheço autoria