sexta-feira, 22 de junho de 2018

Sai daí mulher!


Um dia, você pode se dar conta de que anda contando muitas histórias para si mesma. De que para justificar suas escolhas, sua inércia ou suas frustrações você constrói teorias, manipula lembranças e até inventa fatos. Um dia, para seu desconforto, pode perceber que não cabe mais desculpas, que a torre na qual se encastela não a protege de nada, a não ser de viver novas experiências e, pior, que a porta esteve sempre aberta, é você que não sai. Nesse dia, você vai ficar assustada, sem saber para onde ir. Ótimo. Você começou a buscar a brecha no círculo. Sabe aquela frase "É ruim, mas é bom?" Círculos viciosos são labirintos internos com ar viciado e saídas invisíveis, feitos de conformismo, pensamentos obsessivos, dores estagnadas e desculpas esfarrapadas. São prisões, às vezes douradas e glamourosas, que vamos levantando ao nosso redor, armaduras que vestimos em nome da proteção e da estabilidade. Sim, somos mestres em boicotes, adiamentos e autocomiseração. Engendramos raciocínios sofisticados para legitimar o que fazemos e afastar o que não queremos ver, maquiamos lembranças de felicidade. Adoramos justificar as derrotas e polir nossas dores, apegamos-nos a elas. As dores, muitas vezes, viciam e nos fazem andar em círculos. São veneráveis desculpas. Cuidado com as suas dores. Depois de bem vividas, LIVRE-SE DELAS.
Hilda Lucas

BEM VINDO, INVERNO!



"Tomara que os olhos de inverno das circunstâncias mais doídas não sejam capazes de encobrir por muito tempo os nossos olhos de sol. Que toda vez que o nosso coração se resfriar à beça, e a respiração se fizer áspera demais, a gente possa descobrir maneiras para cuidar dele com o carinho todo que ele merece. Que lá no fundo mais fundo do mais fundo abismo nos reste sempre uma brecha qualquer, ínfima, tímida, para ver também um bocadinho de céu. Tomara que os nossos enganos mais devastadores não nos roubem o entusiasmo para semear de novo. Que a lembrança dos pés feridos quando, valentes, descalçamos os sentimentos, não nos tire a coragem de sentir confiança. Que sempre que doer muito, os cansaços da gente encontrem um lugar de paz para descansar na varanda mais calma da nossa mente. Que o medo exista, porque ele existe, mas que não tenha tamanho para ceifar o nosso amor. Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. Tomara que apesar dos apesares todos, dos pesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz. Tomara."

(Ana Jácomo)

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Chorar


terça-feira, 19 de junho de 2018

Viver é atravessar uma grande ponte de vidro, onde o medo é constante, o caminho é longo, as pedras são infinitas, o frio na barriga dói, mas a vista é sempre linda...


Viver é atravessar uma grande ponte de vidro, onde o medo é constante, o caminho é longo, as pedras são infinitas, o frio na barriga dói, mas a vista é sempre linda...
Viver é mais do que solucionar problemas, é saber se equilibrar no meio deles, seguir com eles e se reinventar no auge da tempestade que eles causam, isso é vida real, é saber que nós somos os empreendendores da nossa própria vida e tirar do caos uma nova porta pra onde sempre quisemos ir. Mesmo que feridos, que cansados e com mais caminhos frágeis para enfrentar, porque o bom da vida é sermos andarilhos nas oportunidades, experimentadores de sonhos e admiradores do tempo e dos aprendizados que ele nos trás.
Thalyta Melgaço

A vida não é uma jornada que começa agora e termina lá na frente.



A vida não é uma jornada que começa agora e termina lá na frente.
Ao contrário, vai começando, finalizando, recomeçando, terminando ... inúmeras vezes, mais do que ousamos suportar; mas uma hora você descobrirá que o que faz cada um ter uma boa vida é saber tirar de letra essas viradas de página que acontecem de forma planejada ou não - na maioria das vezes sem pedir licença, chegando e nos desorientando por algum tempo, mas depois permitindo que a gente descubra que tem recursos que nem sabia que existiam, e que a tribulação foi o gatilho para nos conhecermos melhor ...
Fabíola Simões

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Leve com você


Leve com você apenas o que combina e cabe na sua nova etapa de vida. O que sobrar, venda, ou melhor ainda: doe.

Martha Medeiros

E a vida.


Encontre alguém que te some tanto que você tenha que dividir.
O café, a conversa, a risada, o guarda chuva, a roupa, o corpo, a cama, o sentimento.
E a vida.

Cristina Custodio